.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

NO SILENCIO...



Tento ouvir no Silencio
das noites profundas e escuras
apenas o sibilar dos ventos
descobrindo no meu eu
apenas o melhor de mim...

Dor de poeta
dor das dores: a saudade
buscando o alívio
nos poemas escritos á beira mar...

Todos os dias em mim são de
tempestades ...dilúvios de lágrimas...
porisso entrego minh'alma à poesia
meus versos eu os escrevo na
esperança de serem lidos
quem sabe entendidos?!

Quero sentimento...
e de novo acredito na ilusão
de que tudo pode ser meu
novamente e
para sempre...
e volto a escrever meus versos...
caneta na mão...papel em cima da mesa
olhar perdido no infinito...
lembranças que me chegam com o vento!




CELINA VASQUES