.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

domingo, 1 de novembro de 2015

Misterioso...


Contemplo a quem as minhas saudades abraçam
E escrevo versos... Talvez a minuta de páginas dos dias passados...
E num momento de grande emoção... Então pintei o céu de azul...
Tocando ao compasso febril do coração
Ah...Deixa-me sentir até onde a forma se desapega
Deixa-me ser genuinamente louca e compreensiva
No mais eu no profundo de mim...
Deixa que a purpurina
Da eternidade te toquem... Apenas sinta...
Nestes minutos que proclamo eternos...
Um pedacinho de ti que dança ao vento...
E por ti nas noites sigo as constelações estelares
Cruzo os teus passos
Sabes o amor não se inventa ou detém... Ele não morre
Está no coração...!



celina vasques