.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Sussurros do Mar...




Escuto o sussurrar do mar...
Neste crepúsculo prematuro
Meu olhar marejado e carente de amor
Fita o vai e vem das ondas e as 
    confunde com lágrimas...
Torrentes de paixões... Alucinadas
Cujos sentires misturam-se enquanto
A alma navega sem ilusões...

Perco-me na imensidão do longínquo horizonte
Flutuo no ressoar do tempo... Sentindo
O pulsar do meu coração partido!

Meu corpo embriagado bebe nas ondas
As gotas da loucura...
Funde-se com tuas águas numa essência única...
No furor do vento... Adentras em mim...
Neste momento eterno de comunhão!


celina vasques

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Versos...





Quando eu te vejo é como se visse estrelas no céu!

Na perfumada noite de primavera magnificência


 sem lua cheia.

A penumbra te envolve majestosa e dourada,

Névoas cingem em noite de loucura

O ar sopra suavemente brisa aromática e fresca

Nossos corações inflamam em labaredas...


Falamo-nos em doces solilóquios loucos


Eu te acarinho em sons mais quentes...

Tu me apertas amorosamente! 


E eu... AMO-TE!




CELINA VASQUES







domingo, 11 de novembro de 2012

Encanto...





Sentia saudades
De ti antes de te conhecer...
sentia depois de sabê-lo, sinto agora que te amo!

Hoje como ontem
Encantei-me ao olhar para ti
E todo o fulgor desta magia encantada
ao te ver
Minha alma e meus anseios foram somente teus!
 Serás sempre meu porque te guardarei... Dentro de mim
Serei tua alegria e das tuas lágrimas... O consolo!

E na caminhada pela vida
O que levo de ti meu adorado é o que do mais profundo
De mim te dei...e te darei...
Porque amor é além da vida,
e a vida é além da morte.

E serei eu...
A estrela que te acompanhará em todos os teus passos...
Serei o teu anjo!
E nas noites de luar cantarei para ti as canções mais
Lindas e poéticas dos céus...


celina vasques

segunda-feira, 5 de novembro de 2012



Pudesse eu adormecer e nos meus olhos
Olhar o mar sem perder-me de meus sonhos
Sem medos, sem deixar de viver e transformar...
A tempestade de sentires no meu peito numa primavera de amor...
Agarrar a noite qual fora dia de esplendoroso sol e horizonte
Azuis...

celina vasques