.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

domingo, 27 de maio de 2012

Por amor...






Enquanto adormecias aprisionei a brisa,
 calei os sons da noite escura e silenciei os violeiros 
para que a quietude embalasse teu sono.

Esta passagem para o desconhecido
um caminho vazio...
Somente de silencio e solidão!


Esta dor que comprime meu peito
 e muda o curso da minha errante alma...
O orvalho que molha meu corpo... 
Nele roubei a harmonia da brisa...

Nas trevas bradei pelo brilho das estrelas... 
Minhas lágrimas escondidas no canto 
dos olhos são águas que ficaram retidas num véu de pranto...
por amor e em silencioso lamento!

celina vasques










quarta-feira, 23 de maio de 2012

Tua digital...





Ainda que nunca tenha tocado o teu corpo
Guardo tua digital, porque
Toquei tua alma!

Sou a brisa suave que toca teus cabelos
O sussurro eterno e fugaz que beija teu rosto e te enche de ilusões...

Sou aquela gaivota solitária voando

Derramando sonhos qual fossem pétalas de rosas em alto mar.
as tuas mais loucas fantasias.
Os teus delírios... 

 
Sou o sangue que corre nas tuas veias...
o grito de amor preso nas tuas entranhas...
o teu passado, o teu presente e o silencio do tempo!

A alvorada que te banha orvalhando

a tua pele... macia...
O afago que não me deste
O gemido de amor que não tiveste...
O poema que tatuei em meu coração...
Pensando em ti!

Celina Vasques


100 melhores da poesia brasileira!

com muita honra eu também estou aqui!
celina vasques

segunda-feira, 21 de maio de 2012

paixão perfeita...





Um casebre em frente ao mar...
Canções ao vento a assoviar...
Teu corpo a me encantar
E nas noites desfrutar
 Ah! Tua presença delirante... Arrepia-me
 intensamente
E a paixão é perfeita... Inebriante
Toda a minha vida contigo neste paraíso...
 Debaixo do luar... Brilhante... Sedução!

Amo-te qual amo a vida e o aroma das flores 
Que exala nos entardeceres
 Na varanda da minha paixão...

Fumaça em meus olhos...


Foi tanto querer bem, foi tanta a ilusão... 
Quantos dias amargos ainda virão???!!!
Todos os que amam são cegos! 
Quando o meu coração está incendiado pela paixão 
a fumaça entra em meus olhos...A chama se apaga
e as lágrimas não consigo esconder...

Às vezes... Passo os dias assim... Pensando...
Olhando a vida a passar por mim...
Ainda ontem pensava que não era mais do que
 um pedaço brilhante sem compasso na esfera da vida... 

Hoje sei que sou eu a esfera e a 
vida inteira em estilhaços rítmicos 
agitam-se em mim”

AO MEU AMOR...


Nos teus braços encontro a paz 
nos teus olhos o mar denso calmo 
nas tuas mãos a força para caminhar... 
No teu peito... o embalo de marés de águas doces, 
de rio ilha porto de abrigo...
Em acetinado leito. 
Nos teus dedos... as palavras murmuradas,
 codificadas, dançadas, 
encantamento de cúmplices segredos. 
Nos teus silêncios... 
Os horizontes-convite a voos azuis e
 a luas cheias, em fases de cios. 
Na tua voz, a rima certa para nós!

terça-feira, 8 de maio de 2012

ESBOÇO...






Esboço...


Vou traçando minhas lembranças a giz...
imagens de um passado feliz,
sofrendo em silencio
com um vazio e estranho olhar à minha vida...

 Às vezes amarga...
Outras vezes doce... Muitas cruéis!


Sempre me perco hesitante
nos versos escritos de
sentimentos carentes...E assim,
Vou esboçando tua face
Num desenho cheio de emoção... Transparente!


Escuto meu coração louco e
Doente (de amor) a bater... Qual musica a tocar...
Ah! Talvez seja o vento...
Mas são notas musicais... 

Harmônicas
Sonora musicalidade
Da minha paixão!

E continuo escrevendo impregnando
Minha alma de sonhos... de tal modo
Que me liberte da solidão!


CELINA VASQUES







segunda-feira, 7 de maio de 2012

Se eu te perder...


Se eu te perder...
Leva contigo meu coração
 Dos momentos felizes
 não deixarás nada...
Minha sombra te seguirá em tua jornada
Estarás levando apenas
as minhas dores, o encanto de nossas horas de amor
Das flores ao vento...
levarás somente o exalar do perfume
das rosas
 Do meu silencio triste... as lágrimas que  derramei  no instante do 
despertar e a minha alma a chorar! 

celina vasques


sábado, 5 de maio de 2012