.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O RETORNO DE UMA LEMBRANÇA...


Nos lagos bailam estrelas que brilham do céu...
Uma garoa de leve molha as folhas das acácias
No espelho da água ecoa os caminhares leves das garças

Por ti... Retornei de outros eternos anseios...
Brotei sonhos... E neles todas as minhas emoções...
Então deixei cair nas águas sementes do meu olhar...
E lembro-me de ti todos os dias... Do teu sorriso...
A tua voz... O teu acarinhar...

E meus olhos se perdem no horizonte
No palato celeste o retorno de uma lembrança...
Onde habitam todos os anjos... Envoltos em névoas e véus...
O teu sorriso os anjos guardaram... Lá onde os sonhos não morrem!






Celina Vasques

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Olhos que choram não mentem...


Vi teus doces olhos a chorar...encantei-me...
Então nasceram os sonhos... E este amor!
Retendo em mim uma emoção que nunca havia sentido...
E assim deixei-me ser levada pelo vento...
Fala-me de ti...e deste mar do teu olhar
deixa-me navegar...Deixa-me morrer na tua retina... !
Naquele momento fomos apenas pássaros sobrevoando o mundo...
Fazendo companhia as gaivotas que gritavam sobre o mar...

celina vasques

sábado, 12 de novembro de 2016

VEM...



Vem com a alma sorrindo e os olhos fechados
Mas vem como se um novo dia viesse ao nosso encontro
Na nossa frente... Levo-te pelas mãos...

Vem... Qual num sonho viajasse no tempo para lugares
Inimagináveis...

Veste-me como se eu fora tua pele...
 Vem empresto-te minhas asas
Para que possas voar quais gaivotas em cima do mar...
Na tua frente um céu resplandecente de um azul profundo
Na tua dianteira amor, há um novo caminho...
 Entorpeço esqueço a vida
Vamos partir juntos
Ao rumo do infinito...
Numa viagem sem fim... Vem...!



celina vasques

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

***O momento em que te toco***


E te toco... Percorro teu corpo e é como se o tempo parasse!
E o som do silêncio me faz sentir a vida docemente...
E congelo este tempo...

***O momento em que te toco...***
 
Meus pensamentos voam para bem longe... Tentando alcançar as
Asas dos pássaros que ali voam... E quem sabe, voar também...
Somente o barulho das águas do mar rompe o silencio daquele instante...

No ar a fragrância inebriante da fresca névoa matutina
E o amor se faz presente... Lento e ardente...
Apenas nossos corpos amantes... Num beijo longo e fremente
E minhas mãos te tocando loucamente!

E a vida pulsa neste lindo amanhecer...
E a nossa folia jaz neste aroma divino...!
Celina Vasques

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Memórias castas...


Silenciam-se as emoções
Cravadas como punhais no profundo da alma!
Massacram-se os anseios onde nada mais importa...


Por quê? Pergunta-se minha alma magoada...
Dei-te amor... Carinho... Perfumei tuas noites
Escrevi versos...tatuei teu nome no meu coração...!


Ah! Perdidos sonhos
Restam apenas memórias castas...
Muitas luas...
Muito sois e... Muitas chuvas... Sem respostas..!


Que estradas segue amor distante...
Por onde andas sem a minha presença?


A vida passou sem cessar...
Meus olhos perderam o brilho de tanto chorar...
Vieram os momentos de solidão... Arrastando o tempo
Como se fora um vendaval...


Calam-se os sentimentos...
Nus de lutas inglórias batalhas perdidas...!
Depois... O nada...


A vida levou as minhas ilusões ...Deixando meu coração a sangrar...
Restam apenas memórias em densos nevoeiros...



Celina Vasques