.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

sábado, 30 de abril de 2016

É assim que te anseio amor...



Envolvendo-me em teus braços fortes...
Teu amor... Meu abrigo das tempestades...
Que me refugia do frio... Protege-me dos ventos uivantes...

Tua lembrança quando estou só me acompanha e me faz sorrir...
Teu amor pra mim é tudo... Igual às ondas de um oceano
Grande forte... Violento... Conflitante
Mas qual uma chama ardente que toma conta de meu peito
E aquece a minha essência!
A música da alma ecoa adoçando
Nosso olhar marejado e carente de paixão
E a alma navega em ilusões... Em quereres intensos com
Sussurros... sentidos e apaixonados!


celina vasques

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Imortal...


 
Aqui estou olhando o crepúsculo
E penso neste céu...
E bebo o mar... E penso em voar...
Com os olhos cativos a fantasia...
Esperando por ti nestes intermináveis dias...
Tento escrever em versos... Os sentires do meu coração
E vejo o sol se por em breve... E ele me leva qual uma canção...
De uma triste melodia...

Sorvo comigo a dor da saudade
Mas me sinto imortal diante da vida... !


celina vasques

terça-feira, 26 de abril de 2016

Sonho todos os dias...


Contigo... Como se foras um punhal que cruza
O peito...
Amar-te-ei até brotarem flores das pedras...
Até que as estrelas desapareçam...
Mesmo que a lua não mais surja nas noites escuras...
Mesmo que não me almejes...

Sou um pássaro e voo compondo a solidão dos dias febris...
E voo alto bem lá em cima nas
*** Asas Boreais do Grande Espírito***
Lavro na brisa todas as minhas fantasias...
O tempo deixou de ter desenho  e ficou pendente...
Acende-se o nevoeiro... A nostalgia e as lembranças...!


celina vasques



quinta-feira, 21 de abril de 2016

Momento surreal...


Vivo da memória de momento que passei...
***Momento surreal***
O ultimo beijo... O ultimo suspiro... E te perdi...
E na minha solidão não consigo esquecê-lo...
E vivo dos sonhos de ontem...
Àquelas horas felizes que tive...
Mesmo depois de tanto tempo... Ainda me toca...
Dizem que o tempo cura um coração partido
Mas a vida parou... Desde que nos separamos


***E éramos tão jovens...***.

Com lágrimas que ainda buscam teu vulto
Hoje contemplo... As estrelas no céu
Mas não aceito que meus sonhos passem...
Meus dias são guardados no meu coração


*** quão joias...***

E lançam sobre meu caminho....luz...muita luz...
Jamais deixarei que se percam...!


celina vasques

quarta-feira, 20 de abril de 2016

...E OLHAVA AS ESTRELAS...


E namorava a noite... E pensava em ti...
Deslumbrada notei o dia chegando
Então... Libertei meus sonhos...
Olhei para o mundo e comecei a chorar...
Sentindo saudades de tempos lindos que não retornam mais..
.***Ficaram no passado...***
E eu sigo admirando os céus azuis e as lágrimas caem de meus olhos...
E eu sinto que morri um pouco... A cada dia sem ti!***


celina vasques

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Fragrancia dos ventos...

.
E distante além…. De onde vêm os ventos
Persegue-me a marcha do tempo...


E as palavras morrem nas entranhas do céu

A calma descreve esta inércia dos sentires...
Somente a fragrância dos ventos...
Cheiro que me enchem as narinas de lembranças
Tão lacônica...tão minhas...

E eu sussurro na brandura dos versos que escrevo
Todos os dias***nos selvagens coloridos dos horizontes
da cor deste mar que são os olhos teus*

...e no silencio da noite
que demora a amanhecer as rimas surgem sem ecos...
de um poema que não consigo escrever...

***No silencio da noite... Despida de mim...***

celina vasques

domingo, 10 de abril de 2016

Amado...


Encosta teu peito ao meu num amplexo eterno...
Deixa que teu coração bata uníssono com o meu coração...
E que o sonho(todos) nos transforme em um só sonho
E que povoem nossos momentos...fazendo-os realidade!


***Assim... Abraçados***

... Prende-me a circulação do teu sangue
Deixa-me sentir pulsando...para que sejam um só sangue***


Somos homem e mulher...dois corpos ...mas seremos um só...
** Já és meu...*** serei tua ***


Eternamente... Vamos viver este sonho...numa só luz


***Amado...Nada sou sem ti...tu és o meu abrigo...***

celina vasques

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sou...um poeta doce!


**Talvez uma alma triste... Um poeta doce e sofrido
Que vive à margem da vida flutuando entre
Nuvens e devaneios... Colecionando lembranças
De um passado tão presente***


Cobiçando ser apenas uma gaivota a voar...
sobre este verde mar..
Anoiteço esperando os amanheceres
Exausto desta contradição... De sentimentos...

***Vou ao encontro da brisa que sopra vagarosamente com
A melancolia do anoitecer... ***
**Quando então
escrevo meus versos à lua prateada...***
***E vou renascendo e morrendo tantas vezes...
Quantas na vontade de ser um poeta...ou mais que um poeta doce
Um louco...de amor!***

celina vasques

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Enquanto isso...esqueço de ti!


Imagino-te com teus amores injustos
Apegos findáveis que duram enquanto
a pecaminosa relação existe apenas nas camas frias
***de encontros sexuais...gelados qual a neve***
e no teu desagrado afugentas de teu peito e memória
***o verdadeiro amor...por mim..***.
e eu vou te perdendo pouco a pouco noutros caminhos...
e suavizo a fragilidade dos sentires enquanto
***esqueço de ti!***


Celina Vasques

Nunca mais...



Nunca mais quero entender
O que o silêncio da tua voz
Faz nos meus ouvidos ausentes de tuas
Palavras de amor... São gritos de desamor**
Ensurdecedores...***
** Iguais a um termino de festa
De dias carnavalescos... ***
**Chega-me a doer este grito mudo
Enquanto lágrimas rolam nas faces sem cessarem...
E com minhas mãos carentes de ti... ***As enxugo e
Junto-as a mágoa antiga das dores...***

Ah! Doce são os sentires da alma...desenhados em noites
De temporais... nas vidraças de minha janela!

Celina Vasques

RIO NEGRO (Manaus-Amazonas)






Rio Negro da Lua...
Grande maior do mundo...
Eu quero atravessar-te todos os dias...
E sonhar muitas vezes com aquele que partiu meu coração...
E sigo navegando por teus caminhos caudalosos
E vejo quão bonito é a floresta vista daqui
E assim, consigo ver o arco íris despontando nos céus azuis...
Seguindo através de suas curvas o rio a lua e eu!



celina vasques

sábado, 2 de abril de 2016

Apenas existimos...


A felicidade é apenas momentos...
Em que existem Tudo e Nada em simultâneo...
Que se acaba
Quando os sonhos se destroem...
Em que nós apenas Somos...

A estrada é estreita e longa
Quando olhos se perdem...
À procura do que se esperou...
Apenas existimos com o nosso sentir
No amor não existe escala de tempo
E a emoção é intensa
Nós poderemos estar em mares distantes
Mas o que vivemos... Continua nos corações
E nas lembranças mais doces
Mas tu sempre poderás sentir o meu amor
Talvez seja o acordo do alvorecer
Uma luz que se acende no peregrinar da vida
É assim que refugio o destino
Nos braços de um novo dia...!
celina vasques - 02-04-2016