.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

quinta-feira, 31 de março de 2016

Doces melodias...


Lancei meu grito silencioso através dos ventos
Como posso ter amado alguém inverossímil?
Por que esta dolorida dor continua encravada em mim
Já se passou tanto tempo...
Mas, eu caminho por entre arvores procurando uma réstia de luz...
Um verde de esperança...esquecer que te conheci...
E vi muitos pássaros... Invejei lhe as asas
Poderia voar...
Mas cantei na madrugada imitando-as...
doces melodias...
Esperando com meu canto acordar o dia!

Celina Vasques

terça-feira, 29 de março de 2016

Tenho saudades do lugar....


Tenho saudades do lugar onde
Amamo-nos nas madrugadas
Tenho saudades dos sonhos que nós sonhamos
Sinto os seus olhos lindos e quero
Atravessa-lo para sempre... E dizer-lhe que é
Meu único amor...
Sinto falta deste amor tanto... Mas tanto!
Sinto falta daquele sorriso que me leva ao céu...
Onde estrelas
Quando encontradas umas perto de outras parecem iguais...
(mas não são)

Sinto falta do toque que me confortava
Em momentos de desespero...
Sinto falta de cada parte de todos
Os segundos que passei com ele...!

E do meu olhar perdido no devaneio distante
Goteja em murmúrios sussurrantes lágrimas de saudades
Que se transformam em lago ondulante...
Alagando a face...

E tu alma minha, que és quase a minha essência. .
Traz-me um pouco de ti como se eu fosse um pedaço de mar
Mergulha em mim... Nas minhas entranhas...
E com o silêncio de tua voz serena as minhas dores...
E eu novamente... Acalentar-te-ei no meu peito...!
Celina Vasques

sábado, 26 de março de 2016

Harmonioso amor!


Ontem em meu piano toquei canções
Com harmonias infindas...
As compus em noites de luar... Musicas
Cujos versos trazem luz para a minha alma!
Falando do mar... Das tempestades... Das estrelas...
E me vesti de pássaro
Qual fosse uma gaivota sobrevoando o horizonte...
Harmonioso amor...
E apaixonada por ti... Continuei tocando enfeitiçando teus dias azuis!
Na noite fascinada... Teu corpo é sinfonia quando te afago...
Amo-te imensamente... Com sublime paixão!

celina vasques

quinta-feira, 24 de março de 2016

...festa de flores


É primavera amor...a cerejeira já desabrochou!
ouve o som de passarinhos cantores que anunciam
a chegada das flores...musica para nossos ouvidos...
lembra-te amor?
Não te esquecerei jamais em tempo algum..
Anseio com a coragem do meu amor
Recriar o brilho que me trará você
E tudo brotará mais esplêndido retornaremos 

ao mundo dos sonhos com a alegria dos amantes..
O arco íris nos trará todas as cores
Além da beleza das estrelas e todas as suas luzes
Te anseio como ao ar que respiro...pra mim és mais que amor
És tudo ou mais que tudo!!!


CELINA VASQUES 

segunda-feira, 21 de março de 2016

SUBLIME PAIXÃO...



Sabes?!
É tão bom falar contigo...
Como se o tempo tivesse parado
Eu te encontro e me encontras...
Só existo porque te amo
Oxalá se também me amares...!

Adormeci os versos só para te ver...
Tento enganar o tempo... Invento sonhos...
Naufrago que sou
nas lágrimas mudas que teus olhos me enviam...
Beijo-te...Quero-te
Na brandura do anoitecer... No sabor róscido das estrelas...
Amo-te muito além do corpo... Acima de tudo!

Sou atraída por teu nome com sublime paixão...
... para sempre...E eternamente!


celina vasques

terça-feira, 15 de março de 2016

Silenciosamente...


Me junto à tua fantasia romântica
Que me arrasta por entre o vento...
E trás um som de violino que vem de longe
- Muito longe -
As notas fluíram pelos meus ouvidos
Envolvendo-me em lembranças
- De momentos vividos -
Atinjo o reverso da alma, que me transporta...
- fecho os olhos -
E os tempos regressam do esquecimento...
Num voejar de asas febris ao encontro da noite que adormece!


celina vasques

segunda-feira, 14 de março de 2016

Deixem-me ...!


Quero sonhar em rio de águas mansas...
Fechar os olhos serenar... Quero só sonhar...
Deixem-me...!
Quero compor esta solidão... Consagrar este silêncio e estar
Comigo mesma aqui neste pedaço de chão...
Não quero pensar no tempo... Na vida...
Sem vestir-me de nostalgia... Sussurrando
Delírios colados aos lábios qual fossem límpidas melodias...
Quero apenas sentir o vento na pele
Trazendo aromas de memórias muito antigas...
Com gosto doce de amores vividos... Jamais esquecidos!


 
CELINA VASQUES

sexta-feira, 11 de março de 2016

Espelho da alma...



Trago a poesia dentro dos meus olhos...
Que muitas vezes chorou em mudas sinfonias..
Impregnadas de saudades...
Por achar que o amor morria...
Vislumbro com o olhar marejado de águas límpidas...
Palavras escritas em forma de versos
E sinto o aroma selvagem de jasmins nas gotas que escorrem
E que refletem o ansiar da alma!
celina vasques

Encantos de miragem...





Na placidez do anoitecer
Corações dolentes cochilam...
Na rede de uma varanda...
Onde seus corpos exaustos jazem

Ouve-se o sussurrar do mar...
Com seus mistérios sutis e
Em murmúrios fulgentes
Perdem-se na vastidão dos sentimentos...

... E fitam-se o horizonte longínquo
Inserido em encantos de miragem
Arrefecidas pelo vento das planícies...!

celina vasques

quarta-feira, 9 de março de 2016

INQUIETAÇÃO









Sussurro palavras... monossílabos...
Num murmúrio delirante
Colados aos lábios...
Lágrimas me escorrem nas faces...
Rodopiar de límpidas harmonias
E quero alcançar o tempo antes que ele me devore...
Persegue-me esta dor profunda...
Que sufoca... Maltrata... Mata-me... Aos poucos!



celina vasques

terça-feira, 8 de março de 2016

Palavras voam...ao vento!

As palavras voam ao vento...
E vão se tornando versos... Cores...
Loucos amores... Encontros e desencontros...
Minutando partituras... Em desenhos de sorrir...
sem nunca pensar em partir...
No silêncio possível do reencontro dos sonhos
Ao cerrar os olhos!

celina vasques
Foto de Celina Vasques II.

segunda-feira, 7 de março de 2016

Tardes de alucinação...


Peito bate acelerado
Pergunto-me
Como pude te amar tão loucamente?
A resposta vem do meu coração...


Vi-te tantas vezes tão sozinho...
E eu te esperei todos os dias...
E morri mil vezes... E renasci outras mil...
E em todas às vezes foi por ti que me apaixonei...
E eu te amarei por mais mil anos...


Minha alma adormeceu... O tempo ficou quieto
Cada imortal suspiro... E teu coração ficava mais perto de mim...!
Um querer imenso, infinito...
E pensei:
“ser loucura, tão perdidamente te amar”

E como louca falo contigo e nem me respondes...
Vives a sonhar com outros amores...
E viras as costas aos apelos..
Aos versos... Às canções... As palavras de amor!

- ah! Se o teu coração se inundasse em deslumbramento...

Os amores loucos
São inventados de acanhados vácuos...
Amor de outras vidas... Se soubesses há quanto tempo...
Quais poemas escritos em tardes de alucinação... !


celina vasques

domingo, 6 de março de 2016

AROMA

Uma fragrância selvagem é sentida no ar...
Agrada a minha alma... Acorda-me os sentidos...
Sou apenas um ser que abraça o vento
Nele te sinto...Perdidamente...!



celina vasques

terça-feira, 1 de março de 2016

Grafite de amor...



Esboçando no papel a imagem de meus sonhos impossíveis..
Fecho meus olhos... E deixo que minha alma te veja...
Não quero desenhar o partir... Apenas o sorrir...
O reencontro mágico do sol com a lua...
O sussurro do anoitecer ansiando rever a alvorada...
O milagre do amor dos versos castos
Poesia e oração são tudo igual...
Quais as canções... Que encantam...
Musicas dos pássaros em frente ao mar a te chamar...
Ah...O amor pode ser eterno...E vejo teus olhos
Que doce miragem... E a solidão me faz sentir um abraço
E sinto em meus lábios a fantasia infinita de um beijo...e
Assim minha grafite de amor...está finda !

celina vasques