.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Muito além...no vento!


De repente
Nasceram em mim os sonhos... A poesia
O amor e a saudade!
Depois veio a dor... A mágoa...
Palavras escritas... Em cada nova madrugada de insônia...
Enquanto o sol nascia noutros amanheceres eu
Sobrevoava o mar qual fora apenas uma gaivota,..
E em delírios e sussurros muito além... No vento...
Persegue-me os passos do tempo... E segue-me silenciosamente
E vivem estrelas guardadas por anjos eternos... Onde há sorrisos e sonhos que não morrem...!
celina vasques
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, árvore, planta, atividades ao ar livre e natureza

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Canção dos passarinhos


Nada abranda a canção dos passarinhos nas manhãs...
parecem cantatas de saudades infindas...
Eu da minha janela
Viajo no topo da brisa... Sou vagante no enigma da vida...
Ou talvez uma semente deixada ali e que germinou da melancolia...
E ficou a recordar doces momentos...vividos!

celina vasques

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Meus versos são sempre iguais...


Não me ouves... Minhas palavras pra ti são mudas...
Mesmo que eu te fale de pássaros de flores e de amor...
Teu coração pra mim é surdo!

Eu contava todas as estrelas que via
Mas numa delas quase te vi...
Caminhei sobre a onda fascinada pelo mar..
.
Achei que te encontraria no mar
Mas era tudo fantasia... Sonhos de uma poeta...
Ironias do destino!

Assim daqui pra frente te darei o meu silencio...
Saberás então que este amor poderia ter sido eterno...

Se mais tarde pensares em mim podes lembrar-se
***de ti já me esqueci!***
E em doce murmúrio ouvirás minha voz que
Cantava pra ti noutras eras!

celina vasques

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O RETORNO DE UMA LEMBRANÇA...


Nos lagos bailam estrelas que brilham do céu...
Uma garoa de leve molha as folhas das acácias
No espelho da água ecoa os caminhares leves das garças

Por ti... Retornei de outros eternos anseios...
Brotei sonhos... E neles todas as minhas emoções...
Então deixei cair nas águas sementes do meu olhar...
E lembro-me de ti todos os dias... Do teu sorriso...
A tua voz... O teu acarinhar...

E meus olhos se perdem no horizonte
No palato celeste o retorno de uma lembrança...
Onde habitam todos os anjos... Envoltos em névoas e véus...
O teu sorriso os anjos guardaram... Lá onde os sonhos não morrem!






Celina Vasques

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Olhos que choram não mentem...


Vi teus doces olhos a chorar...encantei-me...
Então nasceram os sonhos... E este amor!
Retendo em mim uma emoção que nunca havia sentido...
E assim deixei-me ser levada pelo vento...
Fala-me de ti...e deste mar do teu olhar
deixa-me navegar...Deixa-me morrer na tua retina... !
Naquele momento fomos apenas pássaros sobrevoando o mundo...
Fazendo companhia as gaivotas que gritavam sobre o mar...

celina vasques

sábado, 12 de novembro de 2016

VEM...



Vem com a alma sorrindo e os olhos fechados
Mas vem como se um novo dia viesse ao nosso encontro
Na nossa frente... Levo-te pelas mãos...

Vem... Qual num sonho viajasse no tempo para lugares
Inimagináveis...

Veste-me como se eu fora tua pele...
 Vem empresto-te minhas asas
Para que possas voar quais gaivotas em cima do mar...
Na tua frente um céu resplandecente de um azul profundo
Na tua dianteira amor, há um novo caminho...
 Entorpeço esqueço a vida
Vamos partir juntos
Ao rumo do infinito...
Numa viagem sem fim... Vem...!



celina vasques

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

***O momento em que te toco***


E te toco... Percorro teu corpo e é como se o tempo parasse!
E o som do silêncio me faz sentir a vida docemente...
E congelo este tempo...

***O momento em que te toco...***
 
Meus pensamentos voam para bem longe... Tentando alcançar as
Asas dos pássaros que ali voam... E quem sabe, voar também...
Somente o barulho das águas do mar rompe o silencio daquele instante...

No ar a fragrância inebriante da fresca névoa matutina
E o amor se faz presente... Lento e ardente...
Apenas nossos corpos amantes... Num beijo longo e fremente
E minhas mãos te tocando loucamente!

E a vida pulsa neste lindo amanhecer...
E a nossa folia jaz neste aroma divino...!
Celina Vasques

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Memórias castas...


Silenciam-se as emoções
Cravadas como punhais no profundo da alma!
Massacram-se os anseios onde nada mais importa...


Por quê? Pergunta-se minha alma magoada...
Dei-te amor... Carinho... Perfumei tuas noites
Escrevi versos...tatuei teu nome no meu coração...!


Ah! Perdidos sonhos
Restam apenas memórias castas...
Muitas luas...
Muito sois e... Muitas chuvas... Sem respostas..!


Que estradas segue amor distante...
Por onde andas sem a minha presença?


A vida passou sem cessar...
Meus olhos perderam o brilho de tanto chorar...
Vieram os momentos de solidão... Arrastando o tempo
Como se fora um vendaval...


Calam-se os sentimentos...
Nus de lutas inglórias batalhas perdidas...!
Depois... O nada...


A vida levou as minhas ilusões ...Deixando meu coração a sangrar...
Restam apenas memórias em densos nevoeiros...



Celina Vasques

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

TE BEIJO A ALMA!



A tua distancia é tão perto de mim...
Habitas em minha alma e na minha essência...
E eu sou a tua sombra cativa...

Sabes, compartilhas comigo a minha solidão.
Na orvalhada cristalina das manhãs
Envolvo teu amor e contigo invento maravilhas...
Percorro teu corpo e por ti me encanto...
...e posso amar-te sempre loucamente...
Apenas no meu pensamento!

E me visto de paixão... De desejo e de ternura...Te beijo a alma..
A noite mansa deixa comigo o perfume de todas as saudades...
E acordo de manhã devagar... Ainda sentindo o aroma
De nossa loucura!

CELINA VASQUES

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Pintor de almas...!


Será que é um pintor de almas?
Vejo-te todos os dias ao longe enquanto
O aroma de tuas tintas inunda o cair da tarde...


Raios de sol adormecem no azul celeste do horizonte
E em tuas vibrantes pinceladas colocas

 na tua tela o fim de mais um dia!

Quem és tu?
Um semeador de melancolia?


Ou apenas aquele que nos acorda os sentires...
Pintando o amor de um passado
- que ainda vive em teu peito -


A beleza dos sonhos vai se retratando nos teus pincéis...
E eis que surge uma tela cheia de paixão e nostalgia...!


Celina Vasques

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Um pássaro chamado Paixão...!



Acordei nesta manhã impregnada com
O perfume da minha própria loucura... E
Suavemente flutuei nas asas de um pássaro
Chamado Paixão... 

São voos nos qual mergulho no despenhadeiro
Do tempo...
Tenho medo... Vejo as ondas que quebram nas pedras...
Com o coração batendo forte... E as lágrimas escorrendo fáceis...

Abraça-me silenciosamente
Esta ansiedade fixada às asas 

Deliro sussurros... E num rodopiar de emoções
Escuto melodias... As que cantam os ventos...!

Num eco sonoro de brados matizes... E me encantam...

celina vasques

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

quando um dia eu te amei...


Olhando a nossa Hortênsia...
Que um dia plantamos...
E pensando neste destino
Num desafio azul às margens de caminhos românticos
Entre versos garridos de um meigo olhar...
Vem-me à lembrança dias tão doces em que te amei...
Neste lindo lugar!

 
Perdi-me de ti pelos caminhos da vida...
De repente ficou num passado a nossa doce história
A lareira onde tantas vezes nos aquecemos do frio
Hoje uma chaminé apagada...
Na minha alma... Apenas um vento frio...

A dor da voz imensa
No eco das palavras... Que nunca mais foram ditas...
Nunca mais plantei esperanças...
Ah! Quantos anos solitários... Apenas recordando...

Há no meu peito um surdo grito...
Na esperança que me queiras para além dos sonhos!
E a nossa Hortênsia que morre com saudades de teus olhos!
Celina Vasques

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

O silencio da minha alma!



Tenho um grito de pássaro que vem da alma
Sou uma gaivota perdida no espaço
Muitas vezes exalto o amor
Noutras carrego nos meus voos uma grande dor...

 
Neste momento me visto de poeta só para escrever versos...
São palavras que vem no torpor dos sons...
Um poema delirante
Onde escuto melodias silentes... No final das tardes...

E vou tingindo os céus e o horizonte com pincéis
- de uma cor dourada -
E sorrio ao recordar o teu sorriso num lento entardecer ...

E viajo batendo as asas... Hesitante... Para depois deixar chegar à escuridão...
E guardar este momento dentro do silencio da minha alma!
Celina Vasques

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Para além dos sonhos!


Na minha essência que seduz
A languidez da alma que chora...
E no silencio deste meu amar sem amor reciproco...
Sonharei docemente contigo...


Hás de me sorrir com um sorriso louco...
Tu que de amor sabes quase nada... Ou tão pouco!

Quando fechares os olhos e me vires
qual um espelho refletindo...


E entre versos de uma visão mais doce
Verás que o meu amor 


Era o verso mais profundo oculto no horizonte
...um pássaro ferido... Esperando por este amor
...para além dos sonhos!


CELINA VASQUES

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Perdoe-me...



Minha poesia magnifica qual o silencio
De teu terno sorriso... A canção que ouço tocar...
Este crepúsculo que chega lentamente
Avermelhando o céu antes tão azul
Cânticos do Ângelus... O vento e a musica buscando
Um porto... O canto secreto de um sonho findo...
É um poema... Versos vindos da alma...
Tenho no rosto uma tristeza infinda...
Um choro de uma angustia que trago no peito...
Vêm à noite onde estrelas caem no mar...
Iluminando a escuridão e rasgando o silencio...!
Traga-me de volta o teu olhar ....o teu amor...
Peço-te mais uma chance...
Do fundo do meu coração... Perdoe-me!

celina vasques

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Nada sou...sem ti!



Sou lágrima que escorre dos teus olhos....
Sou aquela que te espera... Sempre esperou

Sou quem continua crendo
No voo misterioso dos sonhos que não mais existem...

Sou poesias esvoaçantes e meditativas...
Sou o teu esquecimento... Nas noites de solidão...

O teu mar íntimo do seguir... Invasora do teu coração fechado...
Sou tua saudade!

Sou passarinho insano que grita sussurrante no silencio
Dilacerando o vácuo...
Cintilei meu caminho com o teu olhar...

Será sempre escuridão sem o teu chegar
És vida ...e nada sou sem ti...sem mim...sem nós!

celina vasques

quinta-feira, 28 de julho de 2016

HORIZONTE PÚRPURA

ao querido amigo POETA   CRISTIANO MELO 

Trago-te o perfume de orquídeas noturnas...
E toco-te a alma com meus versos...


Imagino-te sentado nas pedras do mar
Olhando embevecido o horizonte púrpura
Sonhando com esplêndidos dias balanceados pelo mar...

As horas escorregam ligeiramente
Qual te cruzassem a pele
E o vento sorrateiro de memórias
Trazem aromas que foram por ti
Saboreados no ar...

E tuas mãos defendem o pensamento
De teus segredos (amores antigos) tão bem guardados
E tocas no reverso da alma...e gracejas do tempo...e desafias poderoso
Qual esta brisa translucida que te cobre
de leve e te rege num voejar de asas febris



celina vasques

sábado, 16 de julho de 2016

UMA LÍMPIDA LÁGRIMA TUA...


Enlouqueci... Se tantas vezes te disse
Que só existo porque te amo...
Falo a verdade mentindo
E tu por crer tão pouco
Deixa-te voar com asas hipotéticas...

Se eu apenas existisse por amar-te
E tu... Seria a verdade mentirosa do teu amor por mim!

Existo pra ti como a brisa que passa... Leve... Fria...
Mas... Saberás sim, um dia,
O tanto que te amei sem nem ao menos ver-te...
.
Mas não me esqueças...Não deixe o tempo perder-me...
... Fita meus olhos...
Neles habitam pássaros... Que voam ao entardecer...
E brilham quais estrelas no céu para acender as noites...
Cativo da lua... Como se fossem uma límpida lágrima tua!


celina vasques

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Silenciosa espera...


Embarco na fantasia
E visto-me de sonhos para viver a realidade!
Pois somente existo porque te amo...
E creio nestas veredas em que viajo
Que a minha espera é para ver o teu amado rosto num sorriso...
Que me acende a luz da alma...
E te amo assim ardentemente
...secretamente...
E qual a brisa que passa suavemente beijando-me as faces ...
Sinto tua presença constante....
E te procuro nas estrelas e nos azuis dos devaneios
E o meu coração que bate por ti..
Já sonhei acordado na realidade
Sentindo a emoção de estar contigo...
E continuo esta espera louca
...silenciosa...espera!


celina vasques

segunda-feira, 4 de julho de 2016

RELUZINDO...


Acendi as estrelas numa noite escura...
Para que tu pássaro viajante não voasses...
Para terras estranhas...
E tudo  se inflamou no firmamento azul
Da minha alma nua...!

celina vasques

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Único...



És único... Nossos fragmentos se juntaram
Encaixaram-se...
E qual duas estrelas chocamos... Tu e eu!


Tu és único no mundo!
Serei única pra ti!

Assim como nossos corpos segredam juras de amor
Em meio ao silêncio
Meu coração há muito tempo perdido bate junto ao teu
Cadenciado... Ritmando musicas
Espalhando notas musicais... Belas... Românticas... Primaveris...
... Dentro do teu alcance...


Celina Vasques

terça-feira, 28 de junho de 2016

Quem sou? Quem tu és?



E passaste em frente aos meus olhos
Tramando a crueldade no amanhã sombrio
Estou cansada de ti e de teus espinhos
Que cravas no meu peito...
Abri-te meus braços novamente a um abraço
quem sou?
quem tu és?
Sou...Talvez uma canoa sem alcunha
Um pássaro ferido... Por tua crueldade!
E eu qual ave que voa na alma do vento
Quero lembrar-te que te amei e
Que te dei aquele para quem cantei para faze-lo adormecer...
E que me encantei por ele durante toda a minha vida...e por
Seus sorrisos cândidos...e que dele fiz uma cintilante estrela
Para que seguisse estradas de flores perfumadas da vida
Com o farol do amor..

Quem tu és? aquela que me devolveu...a dor
Eu não merecia tanto desamor!!!

Celina Vasques

terça-feira, 14 de junho de 2016

Doce amanhecer...






Anseio todos os dias pelo voo das gaivotas no amanhecer
Percorrendo a imensidão do horizonte... Voam e gritam
Desenhando no azul do céu... Equilibrismos fantásticos...
Rasgando o verde esmeralda das águas do mar...
Minutando o amor... Inventando poemas...
desenhando no azul celeste
Uma poesia nunca se perde viaja sobre a beleza das paisagens...
 


Celina Vasques

terça-feira, 7 de junho de 2016

Apenas um verso de amor!






 


Olhei-te profundamente
Nada falei... Já não existem palavras que eu possa dizer...
As cinzas da tarde partem este coração que arde...
Sou apenas uma sinfonia ou uma gaivota concisa
Que trás no peito apenas esta paixão silenciosa...
E assim vou tatuando teu nome no céu azul...
Arremetendo cativa do voejo na mais intensa altitude
Mas sempre volto para viver onde as gaivotas têm seus ninhos...
Hoje acordei qual um sonhador... 
Fazendo da minha manhã um verso de amor!


celina vasques

sábado, 21 de maio de 2016

Versos que não fiz...

Já não tenho a transparência dos versos
Deixo-me perder nas marcas ensurdecedoras da vida...
Já não sei brincar com as palavras...
Cerro os olhos quero escrever um poema pra ti...
- Como antes fazia -
Mas já nem lembro mais do teu rosto!
E me perco procurando silabas na palidez
Das horas onde os sons atravessam
Num dançar de melodias... São pássaros
Cantantes que seduzem e que vivem em mim...
Tento descrever meu sentir na leveza das palavras.
Inventando versos onde vivem meus segredos
Na concisão do tempo e na sofreguidão da alma
Silencio… e abandono-me ao furor da brisa
Tenho uma lágrima que escorre na face...e não escrevi!

celina vasques

sábado, 14 de maio de 2016

Sonhei com o oceano...

Imergi num oceano de ondas gigantes...
Esqueci-me que sabia voar
Senti meu corpo afundar... Num vazio profundo
Clame o mar com seu aroma e sons palpitantes
Parem estes sussurros das ondas bravias que me tragam...
Que me abraçam... E me invadem...

***Mas era apenas um sonho... Quando acordei era um novo dia***
Abri as janelas e olhei o mar a minha frente...
Então sorri ao ver as gaivotas voando...!

celina vasques

terça-feira, 10 de maio de 2016

ESCRITO NO MEU CORAÇÃO...

 
Tenho plantado flores por todos os caminhos que passas...
Tenho escrito poemas pra ti... Por toda a minha vida...
Sou um pássaro desvairado...
Mesmo assim..Eu continuo a admirar-te com o mesmo encanto de sempre...está escrito no meu coração!
Ah! Que poesia infinita é sonhar com teus beijos...
Quando a brisa vem serena... Na manhã que surge...
Acordo apenas para dizer-te que te amo
Com tal suavidade qual os amanheceres nos primeiros raios de sol...!


Celina Vasques

domingo, 1 de maio de 2016

A dor do desamor...


Ah como é um engano esta vida...
Como é amargo solver a ingratidão...
Esmago este dia ...E outros também...
No meu silêncio guardo a dor do teu desamor...
De quem nunca deixará de te amar... E recordo palavras quais punhais em meu peito
No entanto esta poetisa louca vive... Ainda não virou estrela
Mas conto-as todas as noites e as transformo em dia
E choro nas aguas negras do Rio...!


celina vasques

sábado, 30 de abril de 2016

É assim que te anseio amor...



Envolvendo-me em teus braços fortes...
Teu amor... Meu abrigo das tempestades...
Que me refugia do frio... Protege-me dos ventos uivantes...

Tua lembrança quando estou só me acompanha e me faz sorrir...
Teu amor pra mim é tudo... Igual às ondas de um oceano
Grande forte... Violento... Conflitante
Mas qual uma chama ardente que toma conta de meu peito
E aquece a minha essência!
A música da alma ecoa adoçando
Nosso olhar marejado e carente de paixão
E a alma navega em ilusões... Em quereres intensos com
Sussurros... sentidos e apaixonados!


celina vasques

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Imortal...


 
Aqui estou olhando o crepúsculo
E penso neste céu...
E bebo o mar... E penso em voar...
Com os olhos cativos a fantasia...
Esperando por ti nestes intermináveis dias...
Tento escrever em versos... Os sentires do meu coração
E vejo o sol se por em breve... E ele me leva qual uma canção...
De uma triste melodia...

Sorvo comigo a dor da saudade
Mas me sinto imortal diante da vida... !


celina vasques

terça-feira, 26 de abril de 2016

Sonho todos os dias...


Contigo... Como se foras um punhal que cruza
O peito...
Amar-te-ei até brotarem flores das pedras...
Até que as estrelas desapareçam...
Mesmo que a lua não mais surja nas noites escuras...
Mesmo que não me almejes...

Sou um pássaro e voo compondo a solidão dos dias febris...
E voo alto bem lá em cima nas
*** Asas Boreais do Grande Espírito***
Lavro na brisa todas as minhas fantasias...
O tempo deixou de ter desenho  e ficou pendente...
Acende-se o nevoeiro... A nostalgia e as lembranças...!


celina vasques



quinta-feira, 21 de abril de 2016

Momento surreal...


Vivo da memória de momento que passei...
***Momento surreal***
O ultimo beijo... O ultimo suspiro... E te perdi...
E na minha solidão não consigo esquecê-lo...
E vivo dos sonhos de ontem...
Àquelas horas felizes que tive...
Mesmo depois de tanto tempo... Ainda me toca...
Dizem que o tempo cura um coração partido
Mas a vida parou... Desde que nos separamos


***E éramos tão jovens...***.

Com lágrimas que ainda buscam teu vulto
Hoje contemplo... As estrelas no céu
Mas não aceito que meus sonhos passem...
Meus dias são guardados no meu coração


*** quão joias...***

E lançam sobre meu caminho....luz...muita luz...
Jamais deixarei que se percam...!


celina vasques

quarta-feira, 20 de abril de 2016

...E OLHAVA AS ESTRELAS...


E namorava a noite... E pensava em ti...
Deslumbrada notei o dia chegando
Então... Libertei meus sonhos...
Olhei para o mundo e comecei a chorar...
Sentindo saudades de tempos lindos que não retornam mais..
.***Ficaram no passado...***
E eu sigo admirando os céus azuis e as lágrimas caem de meus olhos...
E eu sinto que morri um pouco... A cada dia sem ti!***


celina vasques

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Fragrancia dos ventos...

.
E distante além…. De onde vêm os ventos
Persegue-me a marcha do tempo...


E as palavras morrem nas entranhas do céu

A calma descreve esta inércia dos sentires...
Somente a fragrância dos ventos...
Cheiro que me enchem as narinas de lembranças
Tão lacônica...tão minhas...

E eu sussurro na brandura dos versos que escrevo
Todos os dias***nos selvagens coloridos dos horizontes
da cor deste mar que são os olhos teus*

...e no silencio da noite
que demora a amanhecer as rimas surgem sem ecos...
de um poema que não consigo escrever...

***No silencio da noite... Despida de mim...***

celina vasques

domingo, 10 de abril de 2016

Amado...


Encosta teu peito ao meu num amplexo eterno...
Deixa que teu coração bata uníssono com o meu coração...
E que o sonho(todos) nos transforme em um só sonho
E que povoem nossos momentos...fazendo-os realidade!


***Assim... Abraçados***

... Prende-me a circulação do teu sangue
Deixa-me sentir pulsando...para que sejam um só sangue***


Somos homem e mulher...dois corpos ...mas seremos um só...
** Já és meu...*** serei tua ***


Eternamente... Vamos viver este sonho...numa só luz


***Amado...Nada sou sem ti...tu és o meu abrigo...***

celina vasques

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sou...um poeta doce!


**Talvez uma alma triste... Um poeta doce e sofrido
Que vive à margem da vida flutuando entre
Nuvens e devaneios... Colecionando lembranças
De um passado tão presente***


Cobiçando ser apenas uma gaivota a voar...
sobre este verde mar..
Anoiteço esperando os amanheceres
Exausto desta contradição... De sentimentos...

***Vou ao encontro da brisa que sopra vagarosamente com
A melancolia do anoitecer... ***
**Quando então
escrevo meus versos à lua prateada...***
***E vou renascendo e morrendo tantas vezes...
Quantas na vontade de ser um poeta...ou mais que um poeta doce
Um louco...de amor!***

celina vasques

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Enquanto isso...esqueço de ti!


Imagino-te com teus amores injustos
Apegos findáveis que duram enquanto
a pecaminosa relação existe apenas nas camas frias
***de encontros sexuais...gelados qual a neve***
e no teu desagrado afugentas de teu peito e memória
***o verdadeiro amor...por mim..***.
e eu vou te perdendo pouco a pouco noutros caminhos...
e suavizo a fragilidade dos sentires enquanto
***esqueço de ti!***


Celina Vasques

Nunca mais...



Nunca mais quero entender
O que o silêncio da tua voz
Faz nos meus ouvidos ausentes de tuas
Palavras de amor... São gritos de desamor**
Ensurdecedores...***
** Iguais a um termino de festa
De dias carnavalescos... ***
**Chega-me a doer este grito mudo
Enquanto lágrimas rolam nas faces sem cessarem...
E com minhas mãos carentes de ti... ***As enxugo e
Junto-as a mágoa antiga das dores...***

Ah! Doce são os sentires da alma...desenhados em noites
De temporais... nas vidraças de minha janela!

Celina Vasques

RIO NEGRO (Manaus-Amazonas)






Rio Negro da Lua...
Grande maior do mundo...
Eu quero atravessar-te todos os dias...
E sonhar muitas vezes com aquele que partiu meu coração...
E sigo navegando por teus caminhos caudalosos
E vejo quão bonito é a floresta vista daqui
E assim, consigo ver o arco íris despontando nos céus azuis...
Seguindo através de suas curvas o rio a lua e eu!



celina vasques

sábado, 2 de abril de 2016

Apenas existimos...


A felicidade é apenas momentos...
Em que existem Tudo e Nada em simultâneo...
Que se acaba
Quando os sonhos se destroem...
Em que nós apenas Somos...

A estrada é estreita e longa
Quando olhos se perdem...
À procura do que se esperou...
Apenas existimos com o nosso sentir
No amor não existe escala de tempo
E a emoção é intensa
Nós poderemos estar em mares distantes
Mas o que vivemos... Continua nos corações
E nas lembranças mais doces
Mas tu sempre poderás sentir o meu amor
Talvez seja o acordo do alvorecer
Uma luz que se acende no peregrinar da vida
É assim que refugio o destino
Nos braços de um novo dia...!
celina vasques - 02-04-2016

quinta-feira, 31 de março de 2016

Doces melodias...


Lancei meu grito silencioso através dos ventos
Como posso ter amado alguém inverossímil?
Por que esta dolorida dor continua encravada em mim
Já se passou tanto tempo...
Mas, eu caminho por entre arvores procurando uma réstia de luz...
Um verde de esperança...esquecer que te conheci...
E vi muitos pássaros... Invejei lhe as asas
Poderia voar...
Mas cantei na madrugada imitando-as...
doces melodias...
Esperando com meu canto acordar o dia!

Celina Vasques

terça-feira, 29 de março de 2016

Tenho saudades do lugar....


Tenho saudades do lugar onde
Amamo-nos nas madrugadas
Tenho saudades dos sonhos que nós sonhamos
Sinto os seus olhos lindos e quero
Atravessa-lo para sempre... E dizer-lhe que é
Meu único amor...
Sinto falta deste amor tanto... Mas tanto!
Sinto falta daquele sorriso que me leva ao céu...
Onde estrelas
Quando encontradas umas perto de outras parecem iguais...
(mas não são)

Sinto falta do toque que me confortava
Em momentos de desespero...
Sinto falta de cada parte de todos
Os segundos que passei com ele...!

E do meu olhar perdido no devaneio distante
Goteja em murmúrios sussurrantes lágrimas de saudades
Que se transformam em lago ondulante...
Alagando a face...

E tu alma minha, que és quase a minha essência. .
Traz-me um pouco de ti como se eu fosse um pedaço de mar
Mergulha em mim... Nas minhas entranhas...
E com o silêncio de tua voz serena as minhas dores...
E eu novamente... Acalentar-te-ei no meu peito...!
Celina Vasques