.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

sábado, 26 de dezembro de 2015

SOU UM CAIS SEM BARCOS...

Sou um cais sem barcos...
E nesta solidão...
Um acaso de amargos presentes
E neste silêncio que assola o coração
Sou o tempo
Escondendo o mistério das penumbras
Sou a mentira cruel que afogou a verdade
Sou um par de pérolas
Na amnésia do mar brincando de vida...
Nestas lágrimas de dor e alegria
Sou um amor guardado em soluços
Sou tantas dores, e tanto perdão!
Sou um violino tocando notas musicais...
Imitando as marés e os gritos de uma gaivota!
Sou um trovador apaixonado ... Meu nome é melancolia!
 
celina vasques

sábado, 12 de dezembro de 2015

Amo-te vida...

Amo-te vida!
Amo as ondas quando quebram na praia...
Amo o sol que castiga minha pele alva
Amo os pássaros que voam levando alegria à paisagem...
Amo as flores e o aroma que vem com a brisa
Amo este poeminha que fiz pra ti....ó bela vida!
celina vasques

domingo, 6 de dezembro de 2015

Eu sou o tempo...


neste momento
De ventos fortes e mar bravio...
Ruídos que cortam e silenciam a eternidade...
Pois o silêncio é grande,mas ele fala
E deixa-me sentir como se eu fora
Um pedacinho de chão e eu te terei...agora que proclamo eterno...
E tu serás a natureza quando dança com o vento "

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Numa lua de Jaci...

Meus olhos te seguem ternamente
neste silêncio de um anoitecer lento....luminoso...
Refletido nas aguas deste rio ...
Num tempo de anseios...E sentires...
No aroma desta selva ...num céu estelar...
Numa lua de Jaci...
Segue a constelação do meu olhar. Toma meu coração..
Abraça a minha alma....consola-me em teu peito...
Abriga-te em meu ventre...e te vislumbrarei em todas as noites
De luar...
E te contemplarei sempre e eternamente!

celina vasques

sábado, 28 de novembro de 2015

Espiritual...

Sou apenas o que sou... Apenas existo
Com estes sentires poéticos...
Talvez, um poeta sem rimas
Quem sabe a saudade verdadeira...
Apenas sinta-me... E eu sinto-te...
E proclamo este momento eterno...
E abro-me ao essencial... Tendo o céu como limite...
Vibrando continuamente em minha essência
expandindo amor.. e muita luz!!

celina vasques

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

O teu amor é poesia...


Encantas o meu silencio
Com tua voz macia e quente...
Enlouqueces os meus sentidos...
Afagas-me ao segurares o meu coração
Sim, pois o tens nas tuas mãos...
E este amor tão nosso... Escreve versos...
E meus pensamentos voam quais aves
Ao encontro do orvalho das manhãs
E peço ao tempo infindáveis dias
Para que a memória guarde cada minuto...cada segundo...
Destes momentos contigo...
E quando estiver silencioso o meu coração
E meus pássaros calarem
o amanhã não seja mais do que a memória do hoje!



celina vasques

sábado, 21 de novembro de 2015

Aliança com a paixão...


 
Contemplo as verdades lúcidas do tempo...
E falo do suspiro de um lindo pássaro...
Parei meus olhos nesse doce momento...
Vivi nas areias da praia essa longa espera...
Chegaste voando nas asas de uma gaivota
E te fiz perguntas vindas do coração
E me olhaste em Silêncio...
E eu escrevi metáforas impenetráveis
E desejei ser pedra em mar profundo
Elevo os olhos aos céus mais infinitos...
deles soltam-se arco íris
De muitas cores...Fantasiando sonhos...
E renovo a aliança com a paixão...!



celina vasques

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Hoje respiro o silencio...


No relento da noite...
Adornada de princesa... Para deixar transparecer minha alma
Para que a vejas... Qual me viste em sonhos...
Deste-me as mãos e percorremos oceanos inteiros e
Viajamos nas ondas... No marulhar das águas...
Fizeste-me promessas... Nunca mais saudades ausentes...
E, deixei-me sonhar. ...
Escutando uma doce melodia até o amanhecer...
Poemas foram ensejados para ti...
Vem precisamos sorrir... Vamos atirar ao mar nossas dores...
A partir de hoje...
Espero-te!


celina vasques

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Preciso sonhar...

(...) quando te vejo entre brumas nas noites
de meus sonhos mais profundos
Tenho vontade de pintar-te em tela
Ao amanhecer...
Iria inventar teus olhos e a
Boca mais linda para que tenham sorrisos... E palavras de amor
E se mesmo assim você não existisse...
Fala-me por que eu iria existir
Teria de inventar também o amor
Faze-lo nascer a cada dia nas cores da primavera...!?(...)


celina vasques

domingo, 8 de novembro de 2015

Tens medo do amor...


Mas ele existe quanto maior mais profundo
Pelo mar onde reflete o azul do céu
No nascer e do por do sol
O sorver da terra... E as flores de todas as cores...
Das canções cujas melodias falam de encanto e nostalgia...
Enquanto o teu coração temeroso arquiteta uma saída
Teus lábios sussurram não...!
Mas teu coração... Quer o meu amor...
E fazes poemas que a cada dia
Vão-se inflamando sozinhos
Em sopro de ventos estranhos
E eu falo-te de amor em mansa oração
Pela solidão que me toma por dentro
Um vazio triste oculto de inquietude e revolta
Deste amor por ti que nunca terá fim!


celina vasques

domingo, 1 de novembro de 2015

Misterioso...


Contemplo a quem as minhas saudades abraçam
E escrevo versos... Talvez a minuta de páginas dos dias passados...
E num momento de grande emoção... Então pintei o céu de azul...
Tocando ao compasso febril do coração
Ah...Deixa-me sentir até onde a forma se desapega
Deixa-me ser genuinamente louca e compreensiva
No mais eu no profundo de mim...
Deixa que a purpurina
Da eternidade te toquem... Apenas sinta...
Nestes minutos que proclamo eternos...
Um pedacinho de ti que dança ao vento...
E por ti nas noites sigo as constelações estelares
Cruzo os teus passos
Sabes o amor não se inventa ou detém... Ele não morre
Está no coração...!



celina vasques

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Na minha varanda...


O tempo passa por mim vagaroso
Suave... E eu escrevo horas a fio...
Mergulhando neste oceano de letras...
Conto histórias de amor... Combino poemas...
E o tempo vai passando...
E passo meus dias assim... Nesta varanda
Olhando o horizonte... Tentando respostas para a minha vida
E vem a chuva e eu continuo ali...
Observando as gotas de água no vitral
Escrevendo com paixão ... As mais belas histórias de amor ! 



celina vasques

domingo, 25 de outubro de 2015

Brado secreto...



Parti de ti sem nem ao
Menos te haver tocado
Quais as aves... Que voam sem nada atingir
E eu poeta...
... Cativa do teu mundo de sonhos...
Neste entardecer brando de agonias
Morro devagar a cada dia
Respirando este afeto silente...

Em meu peito
Surge um brado secreto sussurrante
Despedaçando meu coração que se inflama...

Conserva-me, pois na memória... Como se eu fora
A consagração integral de uma essência
E eu te derramarei doces adágios
E te deixarei meu melhor e mais lindo sorriso
De encantamento...!


celina vasques

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Água Encantada...







Cai uma chuva miúda
Água encantada em mil pingos
Parecem lágrimas tais como minhas mais profundas agonias
Eterna é esta neblina provocada
nas noites de
Viajante das arruinadas alvoradas
Navegadora de canoas de papel
Uma aura de fresca brisa veio do mar rumo
Ao meu coração... Bússola dos meus mais profundos
Sentires
Sequei a água dos olhos que rolavam nas faces
E vi minhas dores serem engolidas por um furioso rio...
 



celina vasques

Deixa-me falar de ti...





De este teu acariciante olhar
Descrito num poema sem fim...
Do encantamento dessa doçura
Quando me tocas a luz do luar... e


Transformo-te em poesia e te falo em atingirmos
Sonhos inventados!


Elevo o olhar sob o palato mais infinito
E vislumbro quimeras...
É tudo tão breve a vida passa depressa...


Mas... Pensemos nos encantos das noites
Quando fizemos estremecer o silencio
Com nossos gemidos e ais


E, sinto-te no correr da memória do tempo
Descubro-te luz nos caminhos que percorro...
Com a alma e o coração inundados de ti...!


celina vasques

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Sou apenas ...promessas de amor!


Escrevo às vezes
Simplesmente para rasgar o silencio
Da solidão das noites de insônia... Sem sonhos...
Talvez para contemplar as estrelas e
Esta lua fascinante de Misteriosa beleza transcendental...

Ou quem sabe ser testemunha de um novo nascer do sol...
Momento em que todas as esperanças renascem
Num novo dia...
- Sol brilhante em eterno dia -
Serei eu uma rosa que se abrirá após o orvalho
Das madrugadas sem fim... Trazendo o perfume
Inebriante das manhãs primaveris...?

Então descubro que sou apenas poesia
Versos escritos por ti poeta...Sou apenas promessas de amor...!
 
celina vasques

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Respiro sentimento...


...e fico pensando que...
A vida é tão breve...
Então, meus olhos fitam os céus sem fim...
Idealizei sonhos... Conjecturei quimeras...
Nas noites de mil encantos... Os meus desencantos
Dos suspiros de amor... Do estremecer do silencio
Da vastidão do mar... E todo este amar...


Cai em meu rosto gotas de chuva fina que provoca em mim
Uma torrente de emoções... E a vida se vai...
Esvai-se...


E me faço silencio... E respiro sentimento...
Esta sensação que me transforma em solidão
E em saudades... E me finjo de esquecida...
Das lembranças de minha vida


E a angustia instala-se no meu peito...
Enfim... Quero que me leias...
Qual se eu fora uma poesia... Escrita por ti...
Sente-me!

celina vasques

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

orgasmos...

E eu olhava a lua...e pensava em ti
Com saudades de tuas doces palavras...e sentia tuas mãos
acariciando-me..

Esta noite senti maravilhosos orgasmos poéticos!


celina vasques

Tua alma...teu sentir!







Sou aquela que procuravas na vida...

Banhei-te com afeto e com meu olhar...

Fiz-te meu... Rei, meu dono, teu anjo mulher...

Sempre te amei além do mar... Muito além do amar...

Arco-íris de tua vida!



Amenizei tuas falhas e encontrei uma por uma

Tuas emoções...

Povoei teus sonhos e aleitei em teu  carinho,

Envolvi-te em meus braços cheios de abraços

E te sussurrei com voz rouca, emocionada, cheia de ternura...

Sou tua busca teu rumo... Teus sonhos, teus passos...

Sou eternamente tua... Sou teus sentidos...

Muito além da tua vida

Sou a Tua alma...Teu sentir!





Celina Vasques

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Es fina flor...

Esta minha alma
Este meu corpo
Tatuado de saudade daquele
Acariciante olhar...o teu...
É fina flor de eterno encanto
E minhas poesias se transformam
Em inspirações perfumadas trazidas pela brisa...
E te amo com esta loucura sem fim...!
celina vasques
Foto de Celina Vasques II.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Embriago-me de solidão!







Amargura-me a noite sem lua...
A nostalgia toma conta de mim
E entre soluços deixo navegar lágrimas que queimam
A minha face e sem pressa escorrem...
Entre as pálpebras fechadas...


Esqueço-me das horas que passam
Para pensar num passado ainda tão presente
E atravesso a sagacidade das lembranças
( eu quase as esqueci)
E eu ali quieta esperando encontrar
Não sei bem o que?!


Num momento em que o céu não tem estrelas...
Nem brilho... Num desencontro fulgente...
Dos eternos amantes...


Noturna inquietação de sentires
Embriago-me de solidão
Afago meu peito e lá está a paixão...!




celina vasques
.

sábado, 3 de outubro de 2015

Viajo em ti...


...no silêncio de noites mal dormidas
E nos meus anseios à flor da pele
Apesar do calor que sinto ao teu sonhar
Tens a minha paixão... Os meus versos
Meus poemas e o meu amor!


E te prometo
No silêncio profundo da noite
Embriagada de solidão
Amar-te eternamente até
Num de repente morar no espaço do teu olhar suave...!

Ah! Brilham constelações nestes teus olhos
Paço de uma saudade minha... Que é tua...
Assim continuo minha viagem por esta noite...
De sonhos partidos que causam ecos de agonia

Há lembranças que fazem tremer a calma e o fulgor conciso
Eu preciso acordar o silêncio... São tantos os alvores sem ti..!
.
Busco-te nas memórias do que fomos e nas estrelas...
Amanheceu... A viagem terminou...
Porém acho-te dentro de mim...!

celina vasques

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

UM ETERNO DIA...


Presa ao encanto do silêncio
Viajo em noites e madrugadas frias...
Fugindo da agonia...
Na procura de um doce instante...
Procurando a rota de um sol brilhante
Talvez... Um eterno dia...!

Pássaro que sou pousado em teu coração
Ou uma pétala de flor voando sem destino...
Aonde a saudade vem consumindo...!


celina vasques

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

PENSEI EM TI...


Porque será que não te apago
Da minha vida
Nem que seja por um momento?!
Tentei apagar o pensamento
Logo voltei a falar baixinho
Será esta a minha estrela
a que perdi ?!
Silenciei o adágio
Sentindo o pulsar do coração e
do teu amor!
celina vasques
156686_480296495343778_1738241187_n.jpg

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Perdoe-me...



Por ter te amado tanto
Invadido a tua vida...
Nada sou mais que uma lembrança
Nos teus sonhos mais remotos
E as lágrimas de meus olhos se transformam no oceano
Que afogam a minha alma...
Tu eras meu. E fui feliz!
Aquela ilusão me induz a te amar... Novamente...
Amor...
A vida é tão breve
Perdoe-me por insistir tanto...pelos meus versos
E pela paixão que não passa...!



celina vasques

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Pra ti....

 
Ao fechar os olhos, o mar sussurra cantares.
Que eu aprecio...
Bato as asas para voar ...pode até ser delírio
Mas... Acredito...!
Posso voar...
Então sinto o vento no rosto
Arrepiando minha pele e a alma
Meu olhar se perde no horizonte
Mas não existem estrelas, nem lua cheia...
Somente a luz do teu olhar...!



celina vasques

sábado, 19 de setembro de 2015

Até o último arrepio...


Prisioneira que sou
Do teu amor...
Um pássaro sem voo... Sem partida...
Como num sonho entre brumas...
Procuro por ti... Em algum lugar
No firmamento... Entre céus...
Talvez...
Onde perdi também a alma e a paixão...

Já me reinventei dentro de todas as viagens...
Por entre mares... Por sobre as ondas
Sem chegar nem partir... Sempre no mesmo lugar
A te procurar... Até o ultimo arrepio...

 Mas apenas um olhar pra trás onde
Somente um vazio e as palavras que versam
Quais gritos de amor... Nas rimas do meu poema...
A tua ausência e nada mais...!

 celina vasques

SOU ESPECIAL...!

Eu me sinto muito especial quando você diz
que és meu!


Eu me sinto muito especial quando você diz que seu
amor sou eu
...
Eu me sinto muito especial quando você mantém
minha mão na sua...


Eu me sinto muito especial quando você me mantém
nos braços quando
Eu choro ...


Eu me sinto muito especial quando você diz
que está tudo bem ..

.
Eu me sinto muito especial quando você me chama
de mel ...


Eu me sinto muito especial quando você diz
Eu te amo!

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

DE MANHÃ...



Escrevo com a ponta da caneta que brilha
Enquanto as letras choram as saudades de ti!
Do teu lindo sorriso... dos teus silêncios
Do profundo do teu beijo... e das muitas canções...
Que a brisa tocou pra nós!


Inebriei-me de solidão... É de manhã...
distante de ti...
E porque te amo a ferida sangra...
E o meu coração arde por ti...e mais versos
E mais paixão...e escrevo te amo...te amo...
Simplesmente porque te amo!


Penso que rabiscando minhas dores
Assim, a espera se faz breve...quem sabe
ventos soprarão em teus ouvidos as lindas
cartas de Amor...


...e uma profunda melancolia
Mesmo longe de mim
te envolverá qual redemoinho
e teu coração vazio ouvirá a melodia
incansável... alucinante...volta pra mim


E nesta manhã além do contemplar... 

irei além dos passos da saudade!

celina vasques

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Aprecio um sol no crepúsculo...




Porque será que eu canto ao entardecer
Igual aos pássaros...
E fico de alma apertada...Numa nostalgia tão grande...
Quais ondas que gemem sussurrando
Cantigas na areia da praia...
Onde gaivotas observam
As espumas... Extensos véus de noivas
Arrastando rumo ao altar...


Olho o horizonte meu coração inquieto
Queda-se na esperança de ver as estrelas
Pois a lua me esqueceu...
Minha alma de poeta acelera o coração de mil perdões...


Ah como eu queria te ver
Para sentir um infinito arrepio viajando na emoção...!



celina vasques

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

E toco meu piano loucamente...






Prisioneira que sou dessas melodias...
Que me levam a um voo imaginário...
E sonho... E fantasio... E devaneio...
Enquanto meus dedos deslizam sobre o teclado
E as notas musicais invadem a sala e o meu ser...
E caio numa bruma interior
Nas bordas destes sonhos perco-me em ilusões loucas...
E penso que preciso despertar do silencio das lembranças...
Ficar para sempre cingido aos sentires
Gritar e responder ao chamar de tua alma...
Afogar a solidão na insolência de minhas mãos...
Assim posso escutar teu coração ardente... E sinto que a minha loucura tomou conta da razão...!

celina vasques

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Pura comunhão...


Visto-me com teu olhar...
 Desta paixão que em mim inflamou...
Este olhar capaz de amar-me
Cativar-me... E que me acalora...
Que me amargura... Quando passas da hora...
Um olhar carregado de amor...


Visto-me com teu corpo
Quente... Encantador... Fascinante...
Que passeia no meu corpo nu...
E bebe da água das minhas nascentes
E dança ao sabor da brisa... Que trás o perfume das flores...


Visto-me de ilusão...e recordo sonhos
De manhãs inesquecíveis em que estive em teus braços...
Meu porto... Meu ancoradouro... Minha paz...


Visto-me com tuas lágrimas e aposso-me de tua face...
E a alegria será então a vastidão do luar
Em noites simples... De verão onde estrelas brilhem
Pra nós...


Visto-me de amor e confisco o teu coração...para sempre! 


celina vasques

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

DESENGANO...


 
A paixão que em mim ardeu...
Ficou apenas num contemplar
Mas que foi capaz de amar...
(tanto...mas tanto!)
Um sentir de um amor gigantesco
De tanto tempo à tua espera
...pois que se perdeu ..Que não é mais teu
Porque tu escolheste esquecer...!

celina vasques

terça-feira, 8 de setembro de 2015

O amor de sempre...!




As letras que escrevo choram... Pérolas...
Sentidas... Quais lágrimas que morrem no canto da boca...
Aonde caminham as canções perfumadas
Que arrastava além dos sonhos e risos...
Antes de se perderem no tempo...
Na loucura dos dias...


Então escrevo...

E sinto a brisa em meu rosto
E os arrepios da alma...
Escrevo versos e muitos versos...
E assim preencho as páginas vazias
De tua ausência...


Eternizo assim meus sentires...
E vou escrevendo poemas horas a fio
Tentando descobrir-te num aglomerado
De letras... quem sabe poderás estar num
Poema distante ou no crepúsculo que
Invade o esboçar das noites de solidão!


celina vasques

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Vidas passadas...!




Ah! Este vento sussurrante
Que experimento neste dia frígido...
Penso em ti e neste
Aroma de sonhos e reencarnações...


Nesta noite que não tem estrelas... Apenas as sombras
Escondidas nas muralhas... Do tempo...
E no silencio grito para que me ouças...

Quando te vejo sinto que me encontro com o passado...
Tantos quereres perdidos... E grito para que me identifiques
Vem... Ilumina a minha escuridão...
Sussurra numa poesia... Versos que falem
Desta antiga paixão...

E me liberas das dores arraigadas de alucinação e solidão...!

celina vasques

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Pedaços da minha vida!







Olho-me no espelho... O tempo passou..
A juventude ficou no passado... As rugas teimam
Em riscar a minha pele...
Só meu coração permanece jovem... Apaixonado
Criança...
Lembro-me dos dias de minha infância...

Mas mesmo assim ainda sou eu... Esta figura
Que me parece encantada ao lembrar felizes dias
De uma juventude perdida!

Pedaços de minha vida que
As lembranças machucam... E não me deixam respirar...
Está tudo numa névoa... Meus dias de primavera
E mesmo assim doem demais em meu peito... E trás esta gota
Ardente...Teimosa no canto do meu olhar...

O passado é uma musica... Uma canção...
Que adoraria poder canta-la em versos qual a melodia que escuto
Com tanta emoção...!

Agora sou apenas a poesia que escrevo...ou talvez a saudade
De dias tão felizes que tive!

celina vasques

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Hoje mais uma vez lembrei-me de ti...!






Senti saudades das chuvas que escorriam
Nas vidraças do meu quarto... Onde eu podia divisar
O horizonte... As montanhas...
O vento frio que balançava as copas das árvores do jardim...
E uma lágrima bailou em meus olhos...


Olhei para a varanda onde tomávamos chá e escrevíamos poemas...
Meu pensamento voa e encontra as notas musicais
Com as quais eu tocava melodias...ao entardecer..

Regresso ao tempo...
Visto-me de lembranças e sonhos
E descubro que... No jardim são as mesmas
Rosas vermelhas que me davas
Nos dias que vinhas ver-me e abraçava-me com tanta ternura...

E então sorrio da dor de querer-te mais uma vez...
Mas se nunca me deixaste... Vives dentro de mim
Por isso tantas saudades tuas...!
celina vasques

domingo, 30 de agosto de 2015

Suspiro em versos...


Divido todos os anoiteceres à placidez de um sorriso
Solvo de uma vez o cálice do vinho
Tão forte...
Que me queimou a alma
Cedi meus sonhos... A quem não conhecia...
Aprisionei meus dias... Numa palavra chamada amor...!
Suspiro em versos e os lanço ao tempo...
Que se demudam em sentidos...
E se perdem nos desejos e sentires...
Nas dores... Na ansiedade... No medo...
... e choram... Este amor que é segredo!
A alma sofre e reclama em sentires confuso
...então a espera se faz breve... Na loucura dos dias...!
celina vasques
Foto de Celina Vasques II.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Minhas lembranças...





 

Lamentando... deparei-me a esconder
lembranças...
Descobri que
Não se consegue ocultar o amor nem a dor...
Não esquecemos o passado... Nem os sentimentos...
Nem por concisos tempos...
Lágrimas escorrem em meus lábios onde morava um sorriso
Sou poeta de sentires transparente...
No meu olhar
Um barco ancorado carregado de saudades... Onde
Gaivotas sobrevoam... E sobrevivem...!
Sinto em meu coração tua ausência tatuada...
Muito difícil entender os sentires da tua alma...
E adormeço sucessivamente em ti num afetuoso momento...



celina vasques