.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Palavras nuas...




....surgiste com palavras despidas
de desejos
o meu desejo morreu (também) sufocado

sem teus beijos

Ah! Tu vieste na quietude
Das noites
Onde os suspiros e sussurros
São entrelaçados
Nos braços cativos do sono...

Nos sonhos...
Nos meus sonhos onde a fantasia
Me fazia entorpecida...completamente cega....
Não ouvia...nem via...


E eu te perguntava : “como persistes em envolver-me
Se a ti não resisto...?”
Mas trazias em teu olhar os versos
De um poema que te escrevi...faz tempo...!

Celina vasques

Uma Ode ao Mar...






Do alto de uma montanha notei a areia respirando
Num espetáculo de vistas...
Voava em redemoinhos pelos ventos...

E a brisa serpenteando meus cabelos
Brotava em mim o tom de antigos tempos

Vi uma claridade que me pareceu o verbo amar...
De cima viajei neste mar de alma nua....
Passou-me de mansinho … O sopro de Lembranças ... tua...!

Então eu pude escrever esta ode...
À esta fascinante visão do meu mundo poético...
nesta paisagem encantadora...

...onde não há terras a serem vistas... e o mar encosta no céu
Existem sim...anjos nadando pelo mar...e peixinhos a brincar!

Sonhei muito com este momento eterno
Um minuto de embriaguez poética...
Me veio à mente o ensejo do amor....suspirei
Versos e exalei-os ao vento...

celina vasques

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Lírios no jardim...


Foto


















O alvorecer surgiu das brumas...
Neste desencanto...e na melancolia
Vivendo à sombra da solidão...
Destroçando de vez o coração...
Tantas feridas sangrando...que ainda
Ardem em meu peito por esta saudade!

Empáfia sem brilho iludida, solitária
Poeta…!? Mas que destino louco...
É tão triste voar sem ter rumo...
somente esta tristeza...tanta...!

Os dias vão passando...lentos...nebulosos...
Porque dentro de mim só há uma razão de viver e és tu...
a espera viva...que a primavera volte pra mim...

Volta Amor...já nasceram lírios no jardim...!

celina vasques

Manhã de sonhos...

Parei para pensar por um momento...
São tantos os caminhos que me trouxeram até aqui...
Fecho os olhos para lembrar com perfeição a paixão...

E um Anjo sorriu-me e eras tu...
Um passarinho falou-me dos sentimentos que ainda
Habitam em mim...e eu sorri...!

Ah! Eu quero ouvir tuas palavras
O suntuoso de teus rubores
Quero beber a magia deste sol
Que te queima a pele...
Voar nas asas de uma ilusão presente...
...o sol brilha não importa o tempo...

Abraça-me anjo nesta manhã de sonhos!

Celina vasques

Minha alma imortal...


Tenho a minha alma imortal...
E a paz cativa em meu coração...
na extraordinária ilusão...de desejar o amor...
Na poesia...
Meus sonhos guardo-os em minhas noites tranquilas...
Escuto canções de pássaros felizes ao acordar no nascer
Dos lindos dias...
Minha alma segue em júbilo ao brotar
Nas fantasias de delicados anjos delirantes....

celina vasques

The Colours of Autumn - Gymnopedie No.1

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Vem...quero teu sorriso...!


Não demora e surgirão as flores no meu jardim
é a primavera chegando...os pássaros estarão de volta...
Eles nunca desistem das rosas...a brisa acariciando tua face
Te dará matiz de doçuras....
Foste feito de aguas quietas e florestas eternas!

celina vasques

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Meu profundo amor...




Se você contar todas as estrelas no céu ...
Quantos luares... e por de sol...
E outros tantos amanhecer...
Todas as chuvas que caem nos oceanos...
Os grãos de areia que viajam com os ventos nos desertos...
O perfume de todas as rosas do mundo...
todos os sorrisos de crianças que brincam nos jardins...
então saberás o quanto eu : AMO-TE!

celina vasques

Barry Manilow-Mandy (Lyrics) (+playlist)

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Tu és único...























Deixa-me fazer amor contigo...

Para sempre...por toda vida?

Apenas eu e tu sob a luz da lua...

Quando as sombras da noite caírem sobre nós...

E as gotas de chuva misturarem-se com 

o suor de nossos corpos... 


Tu és único...não importa se é dia ou noite...

Amo-te!

Noite e dia, tu e eu ... e somente penso em ti...

Meu desejo por ti me acompanha onde quer que eu vá...

Tu estás em minha pele qual uma tatuagem eterna... 


E eu sinto este anseio que me queima a alma...

Mesmo quando estou no silêncio do meu quarto...

Teu rosto e tua voz eu escuto entre as paredes...

Meu nome chamando...

  "Amor" ...

Deixa-me fazer amor contigo...sempre e para sempre???


Celina Vasques

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Quietação...



Partilho na beira da praia a minha quietação...
De miragem me visto...prendo meu olhar
Nas ondas do mar...nessas espumas que se espalham
Misturo na neblina as lágrimas...o meu riso...e a minha saudade!

Embriago-me com a presença de tua ausência...amordaço no peito
Este grito que me vem da alma... dou vazão ao meu coração...
Suspiro devaneios neste mar de ilusões....
Harmonizo com o vento cúmplice da minha solidão!

celina vasques

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Digo não ao sofrer...



 




Serei eu apenas as pétalas de uma rosa breve?
Ou apenas um pobre sonhador
ou quem sabe um pássaro mudo
Perdido nas emoções..da desilusão de um grande amor?

Louco é este momento que me fala da tua falsidade
Tristes são as notas da viola de um trovador...
Devastadas estão as cores da paixão...
Tenho a energia do vento neste alento
Não quero mais estas lembranças...

Digo não ao sofrer...
Não quero mais esta saudade ausente...

Celina Vasques

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

AMOR INVENTADO...



 

Inventei o amor
Pintei –lhe o rosto com tintas de várias cores...
Rabisquei mentiras, espinhos e ingênuas verdades...
No caminho, vi a lembrança distante de falsos olhares....
Arderam serenos meus anseios pungentes
impregnados de solidão
Gerei um arco íris de mil canções
Entre mim e a paixão existe apenas dúvidas e dor...
Então deixei que fosse apenas um rabisco no papel...
Poemas que faço...ao cair da tarde!

celina vasques

Versos dispersos...




Tu és de mim o segredo jamais revelado...
Amei-te em silencio por longo tempo...
Tu me encantaste...roubaste meus suspiros
Poemas e canções...as lágrimas...me trouxeste a insônia...
Acordaste meus desejos que adormeciam desencantados...

Eu só tenho olhos pra ti...queria prender-te em
Meus abraços...inundar-te com afagos...
Sussurrar em teus ouvidos toda esta minha paixão...

E rabisco
meus avessos nos versos dispersos...
nas paredes frias dos meus desencontros e sonhos desfeitos...
ansiosos ...inquietos...por ti!

Fala-me só por um momento:” Também te quero assim...”

Celina Vasques

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Mistura de almas...


Deixa-me misturar minha alma com a tua?
Inundo tua alma de músicas ...sinfonias
E poesias...és a inspiração
Simplesmente porque te amo...
Meus versos preenchem espaços e escrevo a lápis
Todos os meus lamentos se perdem nos reversos...
Surto de paixão nas palavras...
tons e devaneios.......sem fim...
Adoro estar assim...misturada a ti...
Porque eu te amo!

celina vasques

Cobiça



Gostaria de ser a palavra doce que sai de tua boca...
este teu sorriso que mais parecem teclas de meu piano...
Queria ser um beijo infinito para morar em
teus lábios...

A lágrima cristalina que escorre de teus verdes olhos...
Queria ser o canto de um pássaro que sai de dentro de ti...

do... ré mi...

A brisa sussurrante e rasteira...queria ser teu amanhecer...
Queria ser o silencio no rumor de tua nostalgia
Ser a saudade no teu quarto vazio...

Queria ser a flor de teu jardim...para exalar perfumes pra ti

Ser a carta de amor
que abraças em teu peito...quem sabe amor?

 De quem será?

Queria ser a tatuagem do teu corpo...
Queria ser o sol que entra pelas tuas vidraças
e cobre de calor teu corpo tão por mim amado!

Minha alma silenciosa solta um lamento...sigo descalça
Pela vida...rumo da alma tua...
...queria tanto... e não tenho Nada!

celina vasques

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

CATIVA...


Sou a sonoridade do brilho da estrela
Aquela que me deste....e suspira ao
Sabor exuberante da falsidade e
Que entorpeceu a minha razão...

Sou a lágrima que se transformou em chuva
Nos dias de tempestade...

Sou a ventania que ruge e te seduz...
Provocante e fascinante...
E avança para o mar...

Sou louca poeta
Caída nas garras do vento
O despertar de uma alma encantada e cativa...

Eu me chamo : Amor...

celina vasques

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Sou pedra...



                                                                                   Sinto o perfume
                                                                                   De terra molhada pelas chuvas 

que caem do céu...
Nuvens que trazem do destino
Errantes nevoeiros...
Eu sou pedra que placidamente
Assiste o borbulhar das ondas do Mar...


Sonhos do passado...
que têm o amargo travo da saudade
De momentos vividos...sublimes instantes levados pelo tempo...


Quieta...habito este mar de solidão!

celina vasques