.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Noite de Tempestade..



Amordacei um grito no fundo da alma
Eu e o vento somos magias que habitam o mar
Em noites de tempestades...


Escuto o ranger de trovões e relâmpagos...
Nas vidraças de meu quarto... e vejo folhas e flores rompendo
A copa das arvores e a espalhar-se
Pelo chão...
...e num rodopiar de versos esvoaçados 


Reescrevo em paginas hipotéticas, versos.angustiosos
Sem nexo...... Aconchegada aos meus travesseiros...
Então adormeço...com medo...
Penso em bússolas....águas...em paixões perdidas...
Mares revoltos... Ondas que se quebram nas pedras...
Lá fora a tormenta... Aqui dentro a calmaria... 


Em murmúrios fulgentes...
Desnudo-me das sombras da noite...
E me visto de cintilantes céus...
E ao submergir na vastidão de sentimentos
Espero que amanheça e que
no horizonte distante... Brilhe novamente o sol!



celina vasques