.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Viajam no tempo versos...



...rostos que atravessam isolados em campos da vida
Quantas vezes ficaram a ouvir o cantar de aves no crepúsculo
E meus sentires se transformam em nostalgia...
Esta música prodigiosa... Feliz... me atravessa os tímpanos
Saudade de tempos idos... Em que a ternura e o carinho
Seguiam-me no dia a dia...
Quem sou eu? Para onde vão meus anseios?
Refugio-me no silêncio de minha alma para apenas ouvir
O cantar destes passarinhos!
Na contemplação plácida... Com a alma vazia de sonhos...
não abraçarei mais dores de inconstantes sentires...
e assim fecho os olhos...e em breve instante me torno poeta!


celina vasques