.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

domingo, 8 de junho de 2014

Plantei sonhos....


...escrevi versos onde o eco das minhas palavras
Tornou-se um grito... Talvez de amor quem saiba de dor?
Sou navegador de silêncios colhido de meus sonhos...
Sou um poema escrito em noites de solidão
Fui escrito num diário onde fui crescendo sozinho
A cada folha em branco preenchendo vida...
O infindo não tem vidraças nem caminhos só
As lembranças de um passado que não regressa
E que aguarda do futuro a esperança de sorrisos...

  Celina Vasques