.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Sou pedra...



                                                                                   Sinto o perfume
                                                                                   De terra molhada pelas chuvas 

que caem do céu...
Nuvens que trazem do destino
Errantes nevoeiros...
Eu sou pedra que placidamente
Assiste o borbulhar das ondas do Mar...


Sonhos do passado...
que têm o amargo travo da saudade
De momentos vividos...sublimes instantes levados pelo tempo...


Quieta...habito este mar de solidão!

celina vasques