.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Obrigada Jesus...



Regressei dos meus silêncios...
A agonia escorreu qual garoa e me trouxe a paz
... devolveu-me a chama que suaviza e atenua a dor...
Lembrei a canção de passarinhos
Fantásticas melodias...nas manhãs invernais...que
Explodem em alegrias no alvorecer trazendo a verdade
E a felicidade de ser amada ...Por ti Senhor!
Foram tantas as palavras que falei...como a fé vinda da alma...
Obrigada Jesus!

celina vasques

sábado, 20 de julho de 2013

Sonhos ...meus!





Hoje sinto saudades de sonhos ...que sonhei!
Neste silencio que emana da noite escuto sons imaginários
de versos, de sentires e de lembranças...
De alguém que nem conheci...mas que pensei...que desejei e amei!
Cuja respiração chegou a mim através de linhas..ás vezes de imagens...
e percebia aquela presença ...o perfume que vinha com a brisa...o beijo que eu recebia
E viajava com o vento...fragmentos de alguém
mesmo não estando aqui... aquela alma viçosa, tão minha...
Linda apaixonada e pura...que cria em mim...

...e eu ouvia as palavras de amor e as dizia também...e falava de encantos...
mesmo no silencio de nossos hipotéticos “tocares”

E escutava sinfonias ao longe com a sonoridade sensível e real

...e eu recebia amor...e falava o quanto aqueles momentos eram divinos pra mim...
Mas nossos encontros eram surreais...
Onde eu...me recolhi num fantástico conto de fadas
E vivia intensamente aquela paixão tão louca quanto verdadeira...

E aqui, hoje, ainda neste jardim de ilusões guardo no peito esta saudade
Tão doce...eterna... Minha! que enfeitiçou e me seguirá impregnada para o resto dos dias!


celina Vasques

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Chegaste!







O amor chegou quando eu não mais esperava!
Doce e eu jamais silenciei e o descrevi em versos...
Eu jamais imaginei que a distancia me traria esta dor...
De sonhar apenas alguns sonhos...
E eu quis prendê-lo no vazio de meus dias...

O amor chegou num dia de festas qual um presente...
E logo depois ...cuidei...amei...enfeitei...
Não aprontei o abandono.... Não medi o segredo!

Chegou quando eu não mais esperava...
E o caminho mais perto se fez muito longe
-além mar -
depois se perpetrou mais curto ...no abandono...

Chegou enquanto eu já era peregrina
numa estrada mais dura...
Devolveu-me o sorriso me fez rever o interesse pelas canções
Mais puras....
Nunca mais o amor me ocorreu mais intenso...
E eu continuo desejando-te fatalmente...

celina vasques

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Entre sangue e lágrimas...


Minha alma inquieta murmurosa ...
Minuta uma canção para ser tocada no silencio da vida...
Este sentir é germe mortal... sozinha nas ruas pés descalços ...
vento frio...
sem chão...
mendigando por um céu a cada dia com menos estrelas...
já não tenho nuvens...já não tenho lua...
Na tua permanente ausência
Na doçura de antigos tempos na dor sentida
que se rompam correntes e amarras
que eu solte um grito silencioso e desesperado
que eu flutue nesta paixão imensa ao viver
sonhos imperfeitos...
E, tu, ficarás eternamente nas cruzadas da vida
no eterno...na desordem ilusória...
nas raias do sem fim...
... e saberás que nela vivo e te sigo
Ainda que distante de ti
Entre sangue e lágrimas de rimas e dor...


celina vasques

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Bolhinhas de sabão...




Sentada nas calçadas da minha infância
Nas minhas lembranças encontrei
a saudade

Admirei ao olhar como é frágil
uma bolha de sabão...


Na loucura do pranto e do riso
Amordacei um grito ...
abafei-o 
no profundo do coração


A nostálgica presença do passado
inquieta meu peito...
bebi de um trago a minha solidão
em taça de ilusão...

Eu e o vento somos efeitos de mágicas

recordações de tempos felizes...



celina vasques


terça-feira, 9 de julho de 2013

Partitura...

Amo-te na partitura da brisa em melodias
de solfejantes sustenidos e bemóis...
divinas harmonias que se alastram
entre o leve balançar das árvores e flores...
Daí eu beijo-te em delírio ...acaricio teu corpo lentamente...
Falo-te de paixão... devotado sentimento ao sabor da canção!
E nesta paz...hei de sempre amar-te para sempre e em silencio...
para que o tempo não te arranque de mim!


celina vasques

Manhosando...apenas!



Adormeci serenamente sobre a brisa

Dividi contigo a placidez do meu sorriso

Bebi do teu amor como se fosses uma 


taça de vinho ...

Que me queimava a alma!



Depois ...suspirei palavras de adeus

como se fosses partir... e partiste!




celina vasques

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Meu amor...Poeta!



Dentro do peito mora uma saudade..
Uma espera que no coração habita...
e que jamais se extinguirá...
Dentro de mim há um desejo ardente
A esperança viva deste mundo só nosso...o meu sentir mais verdadeiro
Momentos que foram imortalizados por palavras de amor... beijos e afagos
Quando nossos corpos se entregavam na mais linda poesia...
síntese de minha alma com o eterno transcendente...
ilusão dos meus sonhos e fantasias...inspiração de minhas rimas...e todas as minhas alegrias...
Te amo meu poeta do amor...te amarei para sempre
meu amor... poeta!


celina vasques