.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

SOU FELIZ!




Encanta-me ver-te... Todos os dias... Assim... Com teu peito de encontro a mim!

Amo-te!

Ouvir-te sussurrando em meus ouvidos palavras de amor e carinho...

Juras de amor para a eternidade... (o amor é eterno juramento)


Fascina-me ver-te sorrindo ao ouvires

As canções que toco ao piano... Todas as melodias

Dedicadas a ti....

Passarinhos assoviando as notas musicais... ao entardecer....


Extasia me esperar-te todas as noites vendo

Estrelas e lua brilhando no céu

Enquanto a brisa beija meu rosto e o vento assanha-me os cabelos

E o perfume das rosas de meu jardim exala um

Perfume inigualável... cheio de poesia e paixão!


Sim! Sou poeta!

Escrevo poemas e canções porque amo!

Amo a vida... Amo os pássaros... Amo o Mar...

As estrelas... O luar... Porque amo a ti!



Celina vasques






quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Apenas...



Sou apenas louca poeta... Que escreve sob magias esquecidas pelo tempo
Abatida pelas garras do vento...
Uma gaivota sem aspiração mesmo quando sobrevoa o mar...
Hoje minha loucura vestiu a voz da brisa...

Não quero mais falar de minhas saudades ausentes... 

Partiste ...e levaste contigo os meus encantos...
A palavra para definir os sentires desde então é Dor!

Tenho dores, tantas… não uma dor latente, insistente ou aguda... 

É uma dor que te assalta, te maltrata e te exaspera...
de tal maneira que de minh’alma silenciosa brotam queixas... 





Celina Vasques



quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Toma-me...



Toma-me...

Toca-me na lembrança...
Sob esta vidraça molhada pela chuva...
E esta saudade constante... Em pedaços...
Sem palavras... Nem murmúrios...


Debruço-me na janela lanço-me nas caricaturas
Dos pingos que escorrem... Inquieta...
Na mesma paisagem... Viajo
Numa estrela qual um devaneio, uma fantasia...

Toma-me...
Embriaga-me com tuas palavras...
Mostra-me todos os mistérios de
Teu corpo... E do teu coração...
Faz do meu corpo abrigo do teu...
Faz-me terra... Sedenta de sol e ar...

Toma-me amor... Toma-me!


celina vasques

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Melodias de silêncios...




Deixo-me ficar aqui a olhar a noite...
Creio neste início de um triste fim
Foram tantos os meus sonhos...
- tentei -
Eu queria apenas ser feliz...
- Talvez-
Trago a força do vento neste magoado coração!

Já nem sei se existo... Nem sei quem sou?

Soltam-se mornas águas de meus olhos...
Tão serenas as minhas recordações...intensas
Elas escutam o marulhar do Mar como se fossem melodias
- talvez de silêncios –
Penso em todos aqueles que partiram...
- amores, afetos, pedaços de mim -
Gélida biografia, vazia sem começos nem fim...
Cada gota deste sal arde em minhas feridas...
Chagas abertas de um poeta!


celina vasques

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

MEU HORIZONTE...




“Meus pés descalços vão pelo rumo de minha alma
Os meus sonhos são maiores que as palavras “...
Há um segredo que vem da minha essência
Que navega sem quimeras... Meu olhar marejado
Está carente do teu...

E este mar avança implacável...
Meus sentires misturam-se aos sussurros reprimidos...
Deste peito melancólico...
Ah! Infindável é a passagem das águas do mar...
Tenho dores... Tantas dores...
Doem-me as feridas
Chagas abertas das longas peregrinações... 

Em busca do amor!

Hoje quero apreciar este mar neste fim de noite...
Ouvir o lamento Do vento até meu último alento...
Meu ontem...
Meu hoje...
Meu horizonte!

Não quero mais embriagar-me com palavras
Não quero acreditar em mentiras e falsas promessas de afeto...
Quero apenas o silêncio deste meu coração
Não quero sentir esta dor... Não quero ser mortal!

Caminho faz tempo por prantos e desvario...
Perdi-me no nada...
Despencaram-se meus sonhos nesta temerosa agonia...
Hoje chorei em silencio
Lágrimas fluídas esvoaçadas do pranto...
Magoada com a vida que te arrebatou de mim!


Celina Vasques

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

*ESCRITORES E POETAS*: CELINA VASQUES

*ESCRITORES E POETAS*: CELINA VASQUES: CELINA VASQUES Celina Vasques, nascida em Belém do Pará, estudou no Colégio Gentil Bittencourt, ao mesmo tempo em que estudava ...

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Folhas do tempo...



Escrever com a alma uma musica

para ser tocada ao piano e que as notas musicais 
voem ao som da melodia 
QUAIS FOSSEM FOLHAS DO TEMPO...
desperta em mim sons de poesia... ternura e amor.

celina vasques



sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Bem querer...



Tua chegada... Teu pouso inesperado
No meu precioso ninho...
Tuas asas que transpuseram os meus sonhos
E com suavidade cingiram meu corpo acalentando-me no frio...
Ó passarinho que cantavas saudades
Aliviando memórias de um passado tão presente...
Olho para o horizonte e te vejo voando
Peço-te, deixes cair no mar ao vento...
Os pedaços de mim que levas contigo
Meus desejos mais doces e profundos ... os
Fragmentos de amor e meu coração partido...





celina vasques

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Apesar...dos tempos!





Perdida em meus sonhos
procuro desvendar
A minha alma...
escuto as notas de um piano... Procuro ouvir o som
Do vento... Quem sabe num harmonioso encantamento...
Nada escuto... Uma sombra de dor diz-me quem sou...
O que fui... Quem serei....
numa distância infinita deixei habitar o mal
Gargalhadas que vem com a brisa... rasgam minha sensível essência...
São tão estranhos os tempos...
Muitas vidas, anel alucinante, caminho prolixo...
Nebulosos meus olhos... Não mais vislumbram horizontes...

Entre minha alma e o amor existe um estigma de punhal
um olhar sem rumo... Uma dor… ferida que arde muda...
E ainda sangra
Apesar... Dos tempos!

celina vasques

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

familia que amo!

Meu filho José Picanço Junior e meus netos queridos Neto, Deborah e João Felipe amoooooo !

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

O amor não foi tudo...




O tempo não foi o bastante

Eu não tinha visão... Enxergava apenas o

Espelho na minha frente...

O amor não foi tudo...



A estrada foi longa e a vida uma

Caminhada insana... Cheia de pedras...

No meu coração

Apenas o vazio...

 

Estou fatigada desta caminhada

Com minha alma aprisionada ao Nada!



Sou qual o lamento do luar e das estrelas

Nas madrugadas ao nascer do sol... Ao deixarem na noite

O seu fulgor...




Para onde foram os meus sonhos?

Àqueles sonhados em vão?




Estou morrendo ansiando crer que

Ao nascer do dia as lágrimas secarão e

Voltando à realidade esta febre do viver

Devolva-me a vida aos poucos...



celina vasques

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

À alguém que traiu sua família...







A traição é um punhal cravado nas costas da pessoa que foi traída!
É como a morte lenta e torturante...
Voce convive com uma pessoa durante anos...mas não a conhece!
De repente descobre que durante muito tempo esta pessoa te mentiu, enganou, injuriou...
Quantas gargalhadas não deverá ter dado com a outra parte ....pobre coitada...completamente enganada!!!
O rancor é algo muito pessoal e só quem vive a situação pode saber exatamente o que se passa na sua cabeça, ou muitas vezes nem sabe e acaba agindo de forma passional.
O fato é que numa relação onde há o diálogo constante, até mesmo uma separação pode ser feita de forma civilizada. Quer conhecer uma pessoa?
 Case-se com ela! Quer conhecer mais ainda? Separe-se dela!

Por que não usar de lealdade e falar sempre a verdade? Para que mentir? Por que tirar proveito de  alguem que foi durante muitos anos tua única e verdadeira amiga???

Com muita indignação... e rancor!


celina vasques

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Tanto encanto...


Foi tanto amor... tanta Paixão...
Tanto encanto...
E fomos perfeitos... Em nossos 

momentos e deleites
Ah! E teus beijos?
Teus beijos tinham sabores de mim...
Uma poesia sem fim...
Minha alma dói pelo amor que tive
E ainda hoje... Apesar de tudo, sei que ainda vive...
Em algum lugar no profundo
Da minha essência...
Memórias... Que não terão fim!

Celina Vasques






Quero-te assim...



 

Quero-te tanto meu amor...
… imortal e silencioso aconchegado nos meus braços.
  Junto ao meu coração!

Quero-te tanto meu amor... Tão somente a ti...
Num simples afago... E na escura noite... Sonhar-te
em fantasias delirantes...assim...dentro de mim
sem pudores...apaixonados...

Quero-te tanto meu amor...
À luz das manhãs de outono
Viajando por todos os caminhos de nossos corpos nus!

celina vasques