.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

terça-feira, 31 de julho de 2012

Tormentas...




Tormentas...

Minha vida perdeu-se por completo
E tu jamais te importaste em ver esta
Paixão pungente que tenho dentro
Do coração partido!

Ah! Jamais prestaste atenção quando
Escrevia-te poemas de amor falando-te
Das minhas dores... Da minha alma
Que reclamava em prantos, por teu amor...
Por teu carinho...

Rejeitaste os meus abraços,
deixaste que rolassem por terra...
Os meus sonhos... E acalantos de ti!

Hoje, longe, além das estrelas,
Viajando por estradas.
Que não têm volta... Onde sombrias nuvens
Tormentas que me arrebatam
 O derradeiro anseio,
Flagelando-me a dor...

 E quanto mais a escuridão
Cobre minhas trilhas e me aparta da vida
Mais distante estou dos dias claros onde com certeza
 Teria minha alma liberta!


Celina Vasques

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Esperança...


Ah! Esta sensação de saudade
Que me invade a alma... Mergulhada nesse oceano de desilusões
Onde meus desejos mais profundos afogaram-se
Nas tormentas... Deste mar agitado chamado paixão!

Meus devaneios subiram às nuvens
 Buscando o silencio e a quietação
 Na espera de transportar-me para a eternidade
E neste efêmero momento enxerguei flores de todas
As cores nos precipícios profundos...

Um mágico fluir de plenitude e serenidade...a esperança
de novos dias...
quem sabe, talvez...
Ainda que este amor magoado
tenha naufragado nas águas
Da ingratidão!

celina vasques

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Infindo sofrer!


Meus olhos fitaram além do horizonte
Como nunca antes aconteceu
   - Infindo sofrer-
E o peso do mundo espalhou-se sobre mim...
Minha vida perdeu-se por completo
Tentando num soluço triste esquecer o sofrimento
De minha existência angustiante...
Minha essência afogou-se no mar
 precipitando-se nos oceanos...
Onde abismos abriram-se
 sob meus pés calejados...
Buscando no silêncio
Nebulosos sentimentos de saudades
   -  de tempos que eu cria Felizes -
Mergulhados nas desilusões do 
meu ser profundo!

celina vasques

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Nascer...




Dias foram passando... E no mais oculto do meu ser
Meus sonhos transpunham a natureza viajando
Por montes... Vales... Selvas... Estradas sem fim...
Aventurando-me em vão fazendo de meus desejos
Mais ardentes pétalas flutuando quais plumas
Volitando soltas e numa liberdade total, nunca antes.
Acontecida... 
Um êxtase... Num mágico fluir de um mundo poético!

celina vasques

terça-feira, 24 de julho de 2012

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Lembro-me de ti!


Os anos vêm passando, mas eu ainda te sou fiel...
E a tudo que te prometi!
Lembro-me dos nossos dias a todo instante
Hoje, amanhã, sempre...
Entendi que amar é importante para
 Que sejamos completos...

Pensar em ti me dá orgasmos de felicidade
Quero te ver!
Para lembrar quanta ternura, 
dos momentos inesquecíveis que vivemos...
A vida é um encontro de outras vidas passadas
 E eu tive este encontro contigo...
Uma narrativa de amor descontinuada... 

Sinto o vento neste dia lindo de verão...
Relembro este amor que perdi e gira em torno de mim
Qual a brisa a murmurar...
Sussurrar... Em meus ouvidos teu nome amado...

 E destrói todos os meus caminhos
Faz-me adormecer de paixão... Sem despertar a razão...
Aprisiona o meu coração e o abandona a própria sorte

E assim segui em frente... Seguindo o vento...
Sem temores e dores...
E hoje restam apenas lembranças... Fugazes!

celina vasques