.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

quarta-feira, 28 de março de 2012

VOANDO



Voando...




Quero me perder no vento... Voar!

Simplesmente cansei de todos os venenos

De todos os silêncios

Das ilusões... Das mentiras... Das paixões


De olhos fechados sinto

A leveza da brisa a levar-me nesta viagem

Nesta liberdade sem limites

Sem fronteiras

como se fora um sopro...

Viajo no tempo

Vou deixando para trás o passado... Meu nome

É saudade e também solidão!







celina vasques

sábado, 24 de março de 2012

Lucidez...




Ah! Se eu pudesse tocar as estrelas

Poderia reconhecer-te entre todas

Com certeza a mais bela...

e seria muito fácil...



Não precisarias dizer nada...

A mim bastaria sentir o chamado do teu coração e a

Afinidade de tua energia intensa a

Coligar meus sentires...



E no silencio deste brilho...

eterna viajante

dos destinos de apaixonados que

Vivem neste mundo de fantasias

É brilho e força... energia... Lucidez!

Ah! Esta busca não tem fim 


Toca-me e saberei que és

Tu!


celina vasques




quarta-feira, 21 de março de 2012

Eternamente te amo!




Nem todo o oceano...
Nem as ondas do mar...
Nem as águas dos rios
Jamais poderão apagar este amor...
Mesmo que a poeira do tempo
tenha embaçado a nossa imagem
Nem que tenham passado mil sóis...
E muitos luares... Eu jamais te olvidarei...
E os meus versos
Cheios de harmonias e alegria
te dirão eternamente: eu te amo!

celina vasques

terça-feira, 20 de março de 2012

Fragrância do tempo



Fragrância do tempo


Sorvo ao cheiro do tempo…
Aroma empoeirada
Deste andarilho que atravessa
Destinos
Trilhas
Histórias
Imagens confusas... Embaçadas!

Escuto canções longínquas tocada por
Violinos imaginários
Melodias que tocam sozinhas
Acordes que mais parecem lamentos dos ventos…
Anseios passados de dias inesquecíveis...


E a saudade de um grande amor que ainda hoje chora
Que causou tanta dor… e que por mim passou qual
Noites de tempestades... Deixando estragos!


Precipito-me ao compasso do meu caminhar
Agora, já tão sem rumo, na fragrância do tempo que
silenciosamente
entorpece o meu corpo
em dias e anoiteceres
na rebeldia natural do envelhecer... E deste silencio!



Celina vasques






domingo, 18 de março de 2012

Visão do além...




Visão do além



Fecho os olhos... Perco-me na escuridão

Navegando a um porto que não mais existe...

O vento circula com redemoinhos

Confio-me a brisa com veemência e grito

Imitando-a em seu rugido

Na visão do além posso ver

Gaivotas solitárias...



Se alcanças toca-me vida,

E neste toque me devolve a essência

Porque minha alma perdeu-se já há muito tempo

No brilho de muitos sóis... Longínquos...

A sangrar segredos nos sussurros

Sob a fadiga das noites

Mal dormidas...



Percorro os ares da eternidade sem

Olhar para além de mim... pássaro solitário

E a neblina

Impede-me de enxergar as flores

Que se descortinam através de lindos jardins

Para que novamente nasça a esperança em mim...

E neste silencio se perpetrarão brandura...

E o longo inverno termina!




Celina vasques

quarta-feira, 14 de março de 2012

Embala-me...Vento!








Hoje, senti o vento

Que levou teu amor de mim... Rumo

Ao infinito muito distante...

E eu fiquei aqui em frente ao mar... a

Esperar-te todos os dias... e a escrever versos

Com minhas lágrimas nesta areia que cai

Entre meus dedos trêmulos...

Descrevo o anoitecer com palavras

Ó vento embala-me e deixa-me

Dormir em teus braços

Sentindo o roçar da brisa em minha face...



Celina vasques

quinta-feira, 8 de março de 2012

AMOR SEM TALVEZ...


Neste anseio dentro de meu peito
Sigo lamentando ver-te quais estrelas no infinito
Longe inatingível... Querendo tocar-te
Mas a tua luz brilha distante muito longínqua
E o sorriso que persiste no teu rosto
Este teu misterioso olhar
Às vezes de afeto e outras
de absoluta indiferença...

À tua alma vou submetendo
minha essência mais profunda
Impelido por esta paixão ilusória
Que me faz padecer no silencio de meu canto
Do desencanto... Ao desalento... Do teu corpo distraído
E indiferente ao toque de minhas mãos...


Num lamento dos sentires
Vivo a nostalgia melancólica dessa tonalidade poente
Deste meu amor sem talvez...

Celina vasques


FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER!



MULHER...MULHER...MULHER!







Mostra quem tu és

não se intimida com a fera

que tenta te pegar...

pisa forte nesse chão

Levanta-te, ergue-te

diz quem tu és...

mulher, mulher, mulher...

es o sol das manhãs

mulher, menina, sinhá

tu és a fonte de inspiracão nas noites de luar!




doce, meiga e carinhosa, forte,

autentica, sensata pura....veloz, trabalhadora, valente e bonita

mostra quem tu és...rasga o pano que te cobre




mulher...mulher...mulher...




CELINA VASQUES




domingo, 4 de março de 2012

POETANDO










Poetando


Escrevendo versos no
teu corpo adormecido
onde a perfeição do brilho
do meu olhar
perde-se no infinito poderoso
chamado amor...


Poetando na inquietude do anoitecer
da arrebatadora alucinação
Na distancia da lua crescente

Amo-te em noites alucinantes
deliro com teu olhar da cor do luar
que eu desejo com tanta paixão

Canto-te no eco dos ventos uivantes
no amanhecer orvalhado da suave
branquidão do sol nascente...

Beijo-te na brisa das manhãs perfumadas...
Hoje e sempre!


Celina vasques


sábado, 3 de março de 2012

É paixão!



É Paixão!


Ah! Amor que tatuei em meu coração

E que estava escrito no meu destino

As saudades que senti na tua ausência

Pareciam rasgar minha alma

Fragmentá-la... Dividi-la em mil pedaços

E esses pedaços espalharem-se pelos jardins

Quais flores perfumadas

Deslumbradas por ti...



Eis a armadilha do amor...

Um raio rasgando o firmamento

- desafiando -

Viajando vales e montanhas...


Atravessando oceanos...

Deixando rastros pelos caminhos que

me levam ao delírio... Todos os dias...

Muito mais que um anseio... é paixão!




Celina vasques