.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

E agora o que faço sem ti?





O que restou dos meus sonhos de amor?

O que foi feito da paixão? E...aquele sentir profundo do coração e na alma?

E os meus versos infindos se até a melancolia e a saudade velejaram no mar de estrelas e desapareceram no infinito deixando apenas o VAZIO...




celina vasques

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Sobrevivi...ao tempo!



Escuto o silencio do mundo...

Calou- se entorpecido

Pelo marulho do mar!



Esquecia-me de ti no sibilar dos ventos

que cantavam

Com vozes longínquas quais vendavais de dor...

Verdadeiras cantigas de um amor perdido

Dilacerado... Fragmentado...

Só sobraram restos de um viver...

Pequenas memórias no meu ser!



Mergulhei no teu mar profundo fui até

- a tua essência -

Nada encontrei apenas a tua ausência...

Não me bastou à ilusão da hora dos

Sonhos aprisionados neste mar de ilusões!



Girei no tempo

Regressei... Plantei o perdão

Colhi sonhos perdidos... Esquecidos... Adormecidos

Vi então crescer a minha voz e na ansiedade

Da delirante paixão... Sobrevivi

Ao tempo que me Viu chorar...


celina vasques

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

DOCE LUZ...




DOCE LUZ...


Dias de primavera
E parecem-me longínquos...
Donde o perfume das flores
Inebriavam a atmosfera...
Logo o verão chegava com
Seu fulgor ardente...

Relembro tempos felizes
Um sorriso me vem aos lábios...
Como era doce o brilho do teu rosto
Iluminado pela luz do luar...

É difícil ter a certeza de que tudo que vivi
E, que ainda está aqui no meu coração e na minha alma
E o amor é tão distante e obscuro
Gostaria de achar uma brecha
no oceano da paixão para voltar no tempo...

Ah! Quantas vezes nestas horas lentas e vazias
Tenho a sensação de que meus sonhos me traem...
Deixo a fantasia
E adentro a realidade...

Na monotonia do entardecer... Onde escrevo poemas
- A beira mar -
Eu fui paixão que viu o arco Iris...
Numa doce luz do teu olhar!


Celina vasques

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

TAÇA DE VINHO



TAÇA DE VINHO



Espantosa a
Angústia do teu silencio gritante no
eco destas paredes
Vejo fantasmas rodopiando, dando risadas,
Enquanto luzes pálidas...
Transpõem
Trazendo-me a tua imagem por entre
as janelas semi- abertas!


Hoje a desesperança entorpece o que fora
A felicidade de ontem...
Que guardo no meu coração...
- Éramos felizes -
Tu partiste... Peço à magia da brisa
Que te traga de volta pra mim...


Tudo que anseio é uma taça de vinho
Agitam-se submisso os sentires
Mas só quero erguer esta taça e brindar
ao meu amor por ti que nunca termina!


Celina vasques













quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

APENAS UM INSTANTE




Um instante no tempo...

Quando todos os meus sonhos não mais

Tiverem uma resposta ao meu destino...

Quando meus olhos não mais brilharem

Quais fogueiras queimando


 chamas de amor desconhecidas... 



Se eu jamais souber se tu

 me amaste como eu

Amei-te e amarei até o fim...



Quando eu já não tiver notas

Musicais a embalar minhas

 canções de amor...



Quando os meus poemas não

 mais tiverem rimas

Só peço um instante ao tempo...

Para que eu possa conhecer 

a eternidade e deixá-la

Nos meus mais profundos versos

 e se não tiveres partido 


Amar-te ainda neste  
                                                                            
 último instante de vida!



Celina vasques


Enlace-me em seus braços esta noite...

Vamos fazer isso durar para sempre!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

BRAMIDO...







Já era noite... E havia luar...

E eu via o céu imerso em estrelas... 


E minhas lágrimas alagavam 

O oceano...

Mas as estrelas caíram perto dali...

A noite era cálida... Quente... Ardente

Meus olhos cerrados... Coração a palpitar

E as águas meu corpo escalava... 

Eu deitada na areia da praia

Aroma do meu desejo feito ardor...

E num bramido louco...

O mar me possuía! 



CELINA VASQUES

Minha Luz!



Minha luz!



Contemplo as estrelas

E peço que aquelas luzes douradas

Quais milhões de olhos a me vigiar...

Não te deixe esquecer-me...



Então as estrelas fugiram da minha dor...

E não mais estão no céu...

Somente a escuridão... Não as vejo!

Ingratas... Nem sequer se importam

Quantas vezes estiveram aqui

E eu a fitá-las... Escrevendo versos de amor!



Ah! Essa tua ausência que

Atormenta-me e devasta...

Ansiava estar contigo... Agora!

Aonde quer que tu vás

Minha alma te seguirá...

E ao olhar para dentro de ti... Eu estarei lá...

E o teu sorriso será sempre o meu riso

Mesmo distante

Serás para sempre a minha estrela brilhante

A minha luz!



Celina vasques

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Nada mais te direi...



Ainda ontem eu era tudo na tua vida... 


- O tempo voou-

Estivemos juntos e nos amamos muito! 


Nosso amor nasceu em dias de primavera... 


e muitas flores.. momentos lindos!


O teu amor acabou... E eu não posso ficar...

 Eu não posso lutar contra isso.

Eu esperava que tu olhasses em meu rosto 

e visses o quanto sempre te amei... mas não

acreditaste em mim...


Nada mais te direi...

Não se preocupe, eu vou 


- seguir meu caminho -

encontrar alguém como tu 


Nada é para sempre eu sei

Não lamentarei mais...



celina vasques e Fatima el hassan







"Eu te amo tanto que este amor
não cabe dentro de mim...
e mesmo que um dia tu
deixes de amar-me...
nada mais sintas por mim
ainda assim, eu vou continuar te amando"

celina vasques



DOR DAS DORES

Saudade dor das dores...
Corta, dilacera, divide
a vida em metades
que parecem jamais se encontrar...
Esperemos que a eternidade
nos una em um dia pleno de sol!
E então, neste lapso de tempo,
terei novamente teus olhos cravados
em meus doces olhos...
E esse amor que insiste
em não acabar, enfim, terá valido,
pleno de energias muito puras!
Tua por toda a eternidade
desse infindo Amor.

Celina Vasques

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Onde estás?




Só o silencio responde com sua voz gritante
Aos apelos de meu coração... Onde estás?


Ilumina com tua luz estrela que brilha no céu...
E que um dia iluminaste a minha vida
Fazendo de minha adolescência um
Mar de rosas... Dias felizes vivi contigo...


Dançamos sem medo e colecionamos
Sonhos e esperanças...
Fiz da minha tristeza lembranças... 

- e caminhei sem ti -
No paradoxo de tua abstrata presença... 


A tua essência que jamais
Abandonou-me
Mesmo depois desta tua viagem 
entre nuvens e brumas...

Ah! Este mar profundo que esconde
 tantos segredos...
E este céu azul de anil que 
te guarda anjo da minha vida! 

E vivo a pensar... Onde estás?
Eu jamais te esqueci!

Celina vasques





terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Estrela minha...


Se eu pudesse mergulhar no céu e buscar
Uma estrela para ser só minha...
Esse brilho que se alastra...

Atravessar o céu voando e
E neste vôo... Nesta magia abraçar – te

e alcançar o minuto de um brilho que te clareia
E Com os anseios que minha alma inventa...

Ficar para sempre contigo 



celina vasques

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Enfim...



Enfim, chegastes

Tu que povoavas meus sonhos e fantasias, trouxeste-me o amor e a

Paz tão desejada... O encanto e  sorrisos sem pranto... A ausência da dor!

O despertar de um novo dia...

Amar-te-ei  toda minha vida!

Que a brisa nos cubra de pétalas de rosas... E que possamos bailar

Ao som de sinfonias infindas... Lindas melodias...


 Para sempre e além da vida!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

DE UM TEMPO QUE NÃO RETORNA...



De um tempo que não retorna...




No crepúsculo prematuro

De um passado que já vai tão longe...bem longe!

A música que vem da alma reflete

no olhar doce marejado

verde da cor do mar

e o pensamento que navega sem fantasias



E o tempo que não retorna

Avança sempre implacável

qual o mar que avança enquanto sonho...

Os sentires confusos...

Lágrimas e sussurros embargados pelo

silêncio das palavras que nunca foram ditas...

ecoando no distante horizonte



E o tempo que não retorna...

O passado que já vai tão longe... Bem longe!



celina vasques