.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

domingo, 28 de outubro de 2012

Chove lá fora!





Escuto a melodia dos pingos da chuva que
 Caem do céu
no som das rimas e do silêncio de minha
Poesia inacabada e de minha v ida
Sem poemas nem alegrias... Impossível não amar 

a tua essência..
cri que as rimas fossem perfeitas!



Os sentires da minha alma pulsam em minhas veias..

O coração acelera...
Qual o vento que soprava na hora em que partias...


Tua fragrância presa à minha pele
Insano veneno que ainda me enlouquece...
Fecho os olhos, e sigo sem ti...
Mas não consigo esquecer-te...
És ainda metade de minha alma! 


 Melodias infindas de passarinhos
com sabor de eternidade
que volitam após o temporal
Quais sussurros de amor
Quem sabe suprindo tua ausência? 



O tempo avança implacável...
E a chuva continua fina... Fluindo pela janela
Perco-me em delirantes ilusões
Diante de meus olhos marejados... a solidão! 





celina vasques