.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Vagando...





Muitas foram às noites de solidão e amargura
Quando minha  alma vagando pela brisa,
 Fragmentada...
Solitária e indefesa,
Pássaro que no voo nunca partiu...chorou
o desalento da dor...

Sou aquela á procura do silêncio
Buscando na voz do vento
A melodia cuja harmonia era
Adocicada pelo teu amor.

Tu meu sopro de vida és a luz do sol
 O meu encanto nos suaves sussurros
Da eternidade a mirar na cristalinidade
Do espelho da vida...

 O meu sonho chegou ao fim
E ainda nem despertou a aurora...


celina Vasques