.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

quinta-feira, 8 de março de 2012

AMOR SEM TALVEZ...


Neste anseio dentro de meu peito
Sigo lamentando ver-te quais estrelas no infinito
Longe inatingível... Querendo tocar-te
Mas a tua luz brilha distante muito longínqua
E o sorriso que persiste no teu rosto
Este teu misterioso olhar
Às vezes de afeto e outras
de absoluta indiferença...

À tua alma vou submetendo
minha essência mais profunda
Impelido por esta paixão ilusória
Que me faz padecer no silencio de meu canto
Do desencanto... Ao desalento... Do teu corpo distraído
E indiferente ao toque de minhas mãos...


Num lamento dos sentires
Vivo a nostalgia melancólica dessa tonalidade poente
Deste meu amor sem talvez...

Celina vasques