.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

UMA CARTA DE AMOR!



Meu coração quieto chora
olho para o mar revolto
ondas marulham
a chuva cai fina
como uma triste canção!

Por que eu ainda acredito na vida?
Sim, eu acredito
acho que ainda posso amar-te
eu creio nisso
e que tudo ainda pode se resolver...

Vejo tua face refletida no infinito
e eu me pergunto e não tenho
respostas a meus anseios
apenas essa dor imensa
que me atormenta!

Escuto cânticos angelicais...suaves...
estou deitada na areia alva
onde costumavamos nos amar
as mesmas gaivotas a voar

Choro muito...lágrimas
escorrem ...misturam-se
com a chuva ...molham meu rosto
morrem em minha boca
onde beijavas todas as noites ao luar!

Mas eu não posso trazer-te de volta
és como esses pássaros que estao à beira mar...
encolhidos com frio...
depois ao sol voam para terras
distantes e não mais encontram
o caminho para voltar...
Eu ainda assim acredito!
e estou aqui a te esperar...
chove, faz frio, mas depois vem o sol
quem sabe poderás voltar?

Esta carta coloquei numa garrafa
e joguei ao mar
eu acredito que um dia
a encontrarás...além mar!




CELINA VASQUES