.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Olhando a chuva...


(uma carta pra ti!)


Chove muito aqui e eu escuto o som dos pingos
Que caem molhando a terra
Na vidraça parecem que dançam ao som de um piano... 

Melodias infindas... Tristes!
Ah! Este cheiro da chuva... Que me invade as narinas
E me trazem o perfume de nossas noites de amor!
Desejava estar contigo agora
- abraçados -
São tão românticas as noites invernais!
Eu escrevo cartas de amor pra ti
-mil cartas-
E nelas o segredo do meu espírito... Porque eu não posso 

contar a ninguém que ainda sofro por ti.
Que ainda te amo, e sei, vou te amar para sempre!
Às vezes penso em respirar profundamente

 e seguir em frente, saborear cada instante da vida... 
Mas que faço sem ti?
Que sabor terá a vida pra mim?
Deste-me coisas que eu nunca poderei esquecer, 

porque estão gravadas na minha memória... 
No meu corpo... Na minha estória.
Lembro-me quando tua mão tocava a minha... 
as estrelas brilhavam na luz mais brilhante ...

sentimento que permanece em mim na minha pele
 tatuada de ti!
Teus olhos lançavam da abóbada celeste 

tão claro raios através da região etérea... 
hipnotizando-me!
E eu sigo acreditando que os

 pássaros cantam na chegada do amanhecer!
Agora tu perdeste a coragem, a confiança para

 lutar por mim para estar ao teu lado. 
Tua fantasia é forte, mas tua alma covarde!
A decepção enche meu coração, 

mas ainda assim estou esperando que um dia
 você vá voltar pra mim
Regressa!
Para que possamos sentar na frente à vidraça

 e admirar a chuva infinitamente juntos!




celina vasques