.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

O TEMPO



Rosto colado à vidraça
vejo a chuva fininha que cai...
docemente molha a relva verdinha e
dá vida ás flores do campo!

Lá longe as montanhas
paisagem fantástica
quem sabe posso subi-la levando
meus sonhos
ver florescer os lírios e encontrar
os ventos elíseos
na esperança de sentir
a misteriosa sensação
do renascer das cinzas...


No silêncio da solidão
de meu quarto
faço um balanço de mim
de tudo que vivi e quem
sabe o que ainda tem por vir?

Sentimentos esquecidos
no tempo que passou
- e eu não vi -
Não me dei conta das trilhas
longos caminhos percorridos
sentei-me á margem da estrada
e a vida passou por mim!




CELINA VASQUES