.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

NOS BRAÇOS DA POESIA



Durante muito tempo em minha vida,
escrevi meus rabiscos, poemas contos
e meus
escritos particulares, cartas de amor!
Sempre apaixonada por algo indivisível,
o transcendental, algo que nem eu mesma
sabia e nunca foram publicados!
Guardava tudo que escrevia...
engavetava, não tinha a
pretensão de ser Poeta!
Emocionava-me a cada musica
que escutava e outras tantas
que eu tocava em meu piano!
Quando começaram as paixões
na adolescencia, a cada desilusão,
a cada momento bom escrevia mais e mais...
Depois a vida levou-me por outras estradas
outras trilhas e meus papéis assim
como meus brinquedos ficaram
esquecidos no passado!
Meus papeis ficaram amarelados
pelo tempo...muitos perdidos e
considerados como arroubos da juventude.
O tempo inexorável passou ...
de volta áqueles poemas e escritos
os que restaram de minha juventude
hoje me fazem companhia dia após dia...
e os leio ao som do meu piano...e nesse
cenáriode magia e emoção acalento-me
nos braços da poesia!





celinavasques