.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Chegaste tarde a minha vida!









Logo que vi teu retrato reconheci... Eras tu...
Sim aqueles olhos não me deixaram dúvidas...
Minha alma gêmea que procurei por toda a eternidade
e que em muitas
Existências estiveram juntas e amaram-se perdidamente...
Mas... Nasci antes... Muito tempo antes!
.
Por quantas tormentas passei... Quantas lágrimas derramaram
Porque sempre sonhava com alguém que desde sempre havia amado...
Escrevia versos e uma tristeza infinita de mim se apoderava...
Tua imagem de mim qual uma sombra sempre estava ali ao meu lado
E mesmo que a vida me desse tudo de bom nunca achava
que podia ser
A minha felicidade...

Faltava algo... Sentia saudades de alguma cousa que
nem eu mesma sabia
Muitas vezes sentia amargura... Fechava os olhos e
buscava dentro de mim respostas às minhas perguntas...
O amor que eu sentia dilacerava meu coração...
Um dia encontrei o que tanto buscava...
Reconheci-te... Mas tu ignoraste.
Estavas ali
Enfim, eu podia ver-te... Falar-te... Mas não podia dizer-te que
Eras o homem da minha vida
Que desde sempre estive aqui à tua espera e que mesmo
Sem conhecer-te eu já te amava!

Agora, o silêncio é apenas o que posso fazer... Manter em segredo
Esse nosso passado... Esquecer-te nunca poderei,
pois te conheço de muitas vidas
Dizer-te quem sou eu jamais direi... Não acreditarias...
Mas posso deixar meus versos e todas as minhas poesias
Quem sabe um dia possa reconhecer-te nas linhas que eu tanto escrevia
Saberás então que
O meu amor és tu... Eternamente tu...Além da vida!