.

Eterno é este mar em que tuas lágrimas navegam e a brisa suave que levou de ti a ilusão ...e nesta bruma ocultas teus sentires de mim ... (Celina Vasques )

domingo, 8 de janeiro de 2012

Aqueles olhos...



Em noites solitárias iluminada pela
luz da lua e o brilho
das estrelas...
olhos nublados contemplam
o vento a gemer agitando as árvores...
as folhas que caem pelo chão anunciam
o outono...

melodias infindas vindas de um
violino distante que toca estranhas canções...
lágrimas inundam aqueles olhos !

Na memória instantes vividos de
uma juventude linda onde se podia sorrir pois tudo
era felicidade...e a primavera sorria!

A lareira crepitante apagou
Logo a aurora romperá e nascerá o sol
um novo dia virá
procura-se naquela melancólica face
o sorriso que flutuava em noites quentes de verão

Dias que passam agonizantes
A chuva começa a cair lavando das lembranças
o brilho de outrora...sonhos sombrios
pedaços de vida que não voltam mais...





celina vasques